2 de fev de 2018

NOSSO CONVIDADO INTERNACIONAL

Rolou uma pergunta aqui em nossa página: "Por que não comemoramos o Dia do Quadrinho Nacional em 30 de janeiro (data da primeira publicação de Nhô Quim) e porque temos um convidado internacional?"
- Porque tem ano que 30/01 cai numa segunda, terça ou quarta (dias que impediriam muitos de participarem do evento), sempre escolhemos o sábado mais próximo, de acordo com o calendário do Memorial da América Latina.
- O Memorial pede que os eventos que aconteçam lá, tenham uma conexão com o resto da América Latina, da qual fazemos parte. A única exceção foi Jeremie Nsinge (do Congo africano) que já viria ao Brasil e assim, unimos o útil ao agradável: uma expo Brasil-África. No ano seguinte tivemos o prazer de receber o paraguaio Roberto Goiriz e ano passado, o argentino César Carrizo. E agora, o uruguaio Diego Jourdan Pereira, cujo trabalho e biografia podem ser admirados no site holandês Lambiek.

https://www.lambiek.net/artists/j/jourdan_diego.htm

EXPOSIÇÃO DAS OBRAS DO GRANDE SORTEIO DE ORIGINAIS E PRINTS DA AQC

Ano passado sorteamos vários originais e "prints" de artistas como Alexandre Jubran, Álvaro Costa, Bira Dantas, Cariello, Eduardo Vetillo, Fabiano Carriero, Fernando dos Santos, Gazy Andraus, Gonzalo Cárcamo, Marcos Venceslau, Mario Cau, Nivaldo Wesley, Paulo Batista, Thobias e ainda dezenas de fanzines CAPA (Gualberto Costa), 50 Anos do Nicodemo (Bia Kassar) e catálogos da expo de J.Carlos no Centro Cultural dos Correios (Neusa Costa), que foram entregues junto com os números do sorteio. Isso ajudou a bancar uma boa parte dos custos da festa. Foi muito legal.

Este ano resolvemos expor os trabalhos antes do sorteio. Agradecemos imensamente à Escola Pandora (Campinas) que mobilizou seus professores e recheou nosso sorteio. Agradecemos ao premiado Mario Cau que nos brindou com várias impressões. Os sorteados ficarão muito contentes!

Nossos colaboradores, até agora são Mario Cau, Vitor Gorino, Flavia Tonelli, Murilo Braga, Caio Yo, Bira Dantas, Claudia Carezzato, Thais Green, Álvaro Costa, Marcos Venceslau e Fernando dos Santos! Quem levar originais ou prints na hora do evento pode deixar com Álvaro Costa e lembrar de tirar uma foto pra colocar na exposição virtual deste ano, que vai contar também com livros de arte e sketchbooks doados.




















30 de jan de 2018

DIA DO QUADRINHO NACIONAL: MUITO A COMEMORAR

A AQC parabeniza a todos que dedicam parte de seus dias (ou seus dias inteiros) à produção, leitura ou pesquisa da Nona Arte, as conhecidas Historias em Quadrinhos. Sabemos que não é fácil (num país golpeado, em que a crise tira o emprego e a comida da mesa de tanta gente) consumir Quadrinhos em tempos bicudos como estes.
Mesmo assim, milhares de quadrinhistas de norte a sul do país pensam, escrevem, desenham, pintam produzem, editam, publicam e vendem suas revistas, mantendo acesa a chama de produzir arte gráfica sequencial.
Os mestres já passados -criativos pioneiros e desbravadores- têm seus lugares reservados no Panteão das HQs, mas os novos são responsáveis por tudo o que vamos galgar pela frente.
A vocês a AQC dedica o dia de hoje.
O Dia do Quadrinho Nacional.

26 de jan de 2018

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO - 34º troféu Angelo Agostini – 2017 / 2018


A AQC-ESP - Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo divulga a programação oficial do 34º Troféu Angelo Agostini que acontecerá no dia 03 de fevereiro, sábado, das 13 as 18 horas, no Auditório da Biblioteca Latino-Americana do Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda), em São Paulo/SP.
Entrada franca.

13:00 Abertura oficial com a participação de Irineu Ferraz (Presidente do Memorial) e Pedro Arsenian, diretor (em exercício) do CBEAL.

Abertura da exposição “Historietas Uruguaias no Memorial” e “Bandas Educativas” – Curadoria: Diego Jourdan, Alejandro Rodriguez Juele e Nicolás Peruzzo.

Abertura da Feira de HQs, com artistas e editoras independentes e Espaço Comix Book Shop, Lançamento dos livros especiais de Álvaro de Moya e Toninho Mendes e Sketchbook de Diego Jourdan (Editora Criativo). Caricaturas ao vivo por Eduardo Vetillo.

13:30 Palestra e lançamento da “Cartilha do Direito Autoral” do Prof. Flávio Calazans em parceria com a AQC-ESP.

14:00 Perfil: Álvaro de Moya – Vamos relembrar sua carreira nos quadrinhos, cinema e televisão.

14:30 Homenagens: Toninho Mendes e Douglas Quinta Reis.

15:00 Bate-papo: “Quadrinhos uruguaios e suas vertentes” com Diego Jourdan (convidado especial) e Ana Paula Rodrigues Ferro
(pesquisadora da USCS) Mediação: Bira Dantas

16:15 “In Memoriam” - Homenagem aos artistas falecidos em 2017

16:30 Entrega do Troféu Angelo Agostini

18:00 Encerramento, com sorteio de livros e originais.



MESA REDONDA SOBRE HISTORIETAS URUGUAIAS NO MEMORIAL DA AMÉRICA-LATINA


Há cerca de 200 anos, tropas portuguesas invadiram a Província Oriental do Uruguai para anexá-la ao Reino do Brasil como Província Cisplatina. Oito anos depois, ao mesmo tempo em que o Brasil se tornava independente de Portugal, o Uruguai se tornava independente do Brasil.

200 anos depois, quem invade o Brasil, mais precisamente o Memorial da América Latina, são as Historietas Uruguaias em um debate e duas exposições: 'Bandas Educativas' (projeto em Quadrinhos de Alejandro Rodriguéz Juele e Nicolás Peruzzo conta episódios da Guerra da Independência) e 'Diego Jourdan', quadrinhista, cartunista e nosso convidado especial.

Diego faz ilustrações pro mercado dos EUA (Simon & Schuster, IDW Publishing, Nickelodeon, Mirage Studios, Titan Magazines, Worthwhile Books, MAD, Teenage Mutant Ninja Turtles, G.I. Joe, Transformers. Astro Boy, Digger & Friends, Ghostbusters, Smurfs e personagens Disney/Pixar. Fez sketch cards para Topps (Star Wars e Marte Ataca), Ivan o Terrível (Beano, 2010) e Snooty & Scamp (Wendy, 2011). Está envolvido em projetos da editora DC Thomson e Lego City brand. Publicou na Índia (revista Tinkle), Reino Unido, Itália e Brasil. Ele participou da revista da AQC Picles “Fim do Mundo” (2012).

É arte-finalista das tiras de Bob Weber Jr (Slylock Fox & Comics For Kids), e está restaurando a HQ vintage “Last Kiss”. Também publicou coletâneas de Historietas Uruguaias de Carlos María Federici (Detective Intergaláctico) e Geoffrey Fola (El hombre que fue una biblioteca), lançadas no Festival Montevideo Comics.

A mesa redonda, mediada por Bira Dantas, completará esta reaproximação de Brasil e Uruguai. Diego Jourdan vai falar de sua carreira -lançando Sketchbook pela editora Criativo - e a pesquisadora e professora Ana Paula Rodrigues de Ferro,  falará da “Renovação das HQs uruguaias em Blogs: uma análise da produção contemporânea”, tema de sua dissertação na USCS em 2016, quando era aluna do Prof. Dr. Roberto Elísio dos Santos.

Esperamos que os laços entre Brasil e Uruguai se apertem mais ainda.

DEBATEDOR: DIEGO JOURDAN PEREIRA







Diego Jourdan Pereira, que fará parte da mesa-redonda sobre Historietas Uruguaias e lançara Sketchbook pela Editora Criativo, é quadrinhista e cartunista, vive atualmente em Santiago de Chile, e é especialista em trabalhar com personagens e produtos licenciados. Estudou design gráfico na Universidade do Pacifico (Chile) e na Fashion Institute of Technology (NY), tem trabalhado como ilustrador e cartunista principalmente pro mercado dos EUA (Simon & Schuster, IDW Publishing, Nickelodeon, Mirage Studios, Titan Magazines, Worthwhile Books, MAD).
Colaborou em produções de Quadrinhos e Animações como Teenage Mutant Ninja Turtles, G.I. Joe, Transformers. Astro Boy, Digger & Friends, Ghostbusters, Smurfs e personagens Disney/Pixar. Fez sketch cards para Topps (Star Wars e Marte Ataca).
Depois de trabalhar na modernização de personagens como Ivan o Terrível (Beano, 2010) e Snooty & Scamp (Wendy, 2011), está envolvido em projetos da editora DC Thomson, como Quadrinhos promocionais (Lego City brand) e ilustrações para revista infantil WWE Kids.
Em 2013, trabalhou para a revista indiana Tinkle. Tem publicado também no Reino Unido. 
Seus recentes projetos foram arte-finalizar os desenhos de Bob Weber Jr (tiras Slylock Fox & Comics For Kids) e restaurar e re-colorir a HQ vintage "Last Kiss". Também publicou coletâneas de Historietas Uruguaias de Carlos María Federici (Detective Intergaláctico) e Geoffrey Fola (El hombre que fue una biblioteca), lançadas no Festival Montevideo Comics.
Fez a capa do graphic novel de ficção Crononautas (GAS Comics).
Atualmente está interessado na produção de pôsteres de arte impressa e tem participado de exposições na Bélgica (Sint Niklaas Museum) e Japão (Tama Art University). Em 2015, fez parte do programa de residência artística no Japão (MI Lab Residency program) para aprender a técnica "mokuhanga" (xilogravura baseada em impressão aguada) para artistas estrangeiros. Suas xilogravuras foram publicadas no livro "Revealed: A Storybook Bible for Grown-ups" ao lado de gravuras de Albrecht Dürer, Rembrandt van Rijn, Franz Marc, Eric Gill, entre outros.
Em 2012 publicou cartuns na revista da AQC "Picles Fim do Mundo". Desde 2016, vem ilustrando a seção de humor e quadrinhos do jornal The Sunday Post.
ASSOCIAÇÕES E PRÊMIOS
Em 2009, Jourdan foi aceito como membro da National Cartoonists Society (EUA). Em 2011, sua HQ "Verdes" (em parceria com o escritor argentino Javier Hildebrandt) ganhou o concurso da revista italiana MONO, onde será publicada. Em 2014, Jourdan recebeu a medalha de prata do Prêmio Morosoli, na categoria arte, por sua contribuição à cultura uruguaia.


LIVROS PUBLICADOS

Editora argentina Dicese, técnicas sobre buscar trabalho nos Comics:


Editora chilena:

http://www.accioncomics.cl/producto-etiqueta/diego-jourdan/

MAIS INFORMAÇÕES EM
http://es.wikipedia.org/wiki/Diego_Jourdan
SITE
http://diegojourdanpro.strikingly.com

DEBATEDORA: ANA PAULA RODRIGUES FERRO



Ana Paula apresentou a dissertação na USCS em 2016, quando era aluna do Prof. Dr. Roberto Elísio dos Santos.

Título da dissertação:"A Renovação das Historias em quadrinhos Uruguaias em Blogs: Uma análise da produção contemporânea."

Membros da Banca:
Prof. Dr. Herom Vargas Silva (USCS)
Prof. Dr. Roberto Elísio dos Santos (Orientador)
Prof Dr. Paulo Eduardo Ramos (UNIFESP)
Ana Paula é graduada em letras (Português-Espanhol) e professora de espanhol, trabalhou com HQs na sala de aula, para praticar a escrita, e leitura, mas percebeu que só encontrava coisas do Chile e Argentina, entretanto, sabendo que Uruguai é um país culto e que seu povo lê bastante, ficou impressionada por não encontrar nada de lá, foi então que, ao visitar o país, descobriu que essa arte por lá era muito significante e que tinham até um museu específico de HQs, em Minas (pequena cidade do Uruguai). Daí conheceu o diretor do museu, Dr. Guadalupe, o senhor Gabriel Mainero, entre outros artistas e nomes ligados ao assunto e decidi estudar sobre a história das HQs deste país. Em especial, analisou obras de Nicolás Peruzzo, Rodolfo Santullo e Marco Vergara (que surgiram em blog e depois foram impressas), também apresentou um breve relato sobre os artistas (pioneiros, modernos e contemporâneos de HQs deste país), sobre a AUCH, sobre o mercado de trabalho, sobre a produção e consumo de HQs no país e sobre os veículos de comunicação que se dedicavam e dedicam às HQs no país.
Segue no link da dissertação.
http://memoriasppgcom.uscs.edu.br/?p=2422

25 de jan de 2018

TROFÉU ANGELO AGOSTINI 2018

TRANSFORMANDO-SE A CADA ANO
Por Alexandre Silva (*)

"Chegamos ao 34o Troféu Angelo Agostini. Para nós da AQC, olhar para trás e ver o que já fizemos nos dá um baita orgulho. Entre erros e acertos, críticas e louvores, o AA está aí a 34 anos, incentivando, mapeando e promovendo nossos artistas e nossos quadrinhos. A ideia inicial que era apenas premiar os artistas com pelo menos 25 anos ou mais de trabalho na área, os consagrando como Mestres, ainda é mantida, porém desdobrou-se ao longo dos anos em várias categorias disputadas de norte a sul do País.

Premiar um cartunista do Ceará, um fanzine do Rio Grande do Sul, um desenhista de Goiânia ou da Bahia, só afirma o alcance que o AA tem e cumpre o seu propósito de mapear todo o Brasil, consagrando muitas vezes trabalhos que ás vezes nem chegam nas grandes capitais, como São Paulo, por exemplo. O voto aberto pela internet e as campanhas, são válidas, sendo assim o mais democrático possível, porém mesmo assim somos criticados. Aceitamos, recuamos, repensamos, e após um período conturbado, ressurgimos, mais precisamente a partir de 2013, de equipe nova e casa nova também, pois o Memorial da América Latina nos abriu as portas para uma nova era, a era da renovação do Troféu Angelo Agostini!

A partir daí, introduzimos a cada ano, uma exposição, que foi se renovando também e juntando-se ao propósito do Memorial de unir todos os povos, transformou-se em um painel da nona arte em outros países. Já passaram pelo AA, exposições do Congo, Argentina e Paraguai, sempre com a curadoria e a presença de um grande artista de cada país como convidado especial.
Neste ano, temos  o orgulho de trazer o melhor dos quadrinhos uruguaios, através do trabalho do talentoso quadrinhista Diego Jourdan, junto com mais uma exposição chamada "Bandas Educativas", dos colegas Alejandro Rodriguez Juele e Nicolás Peruzzo.

Outra novidade foi a ampliação de um momento no evento, que nos orgulha muito, que é o "In  Memoriam", a justa homenagem aos artistas falecidos. Em 2017, perdemos Toninho Mendes, Álvaro de Moya, Douglas Quinta Reis e mais recentemente Luis Augusto Correa, autor de Fala,menino! Durante o ano coletamos informações sobre os artistas da área falecidos em todo canto do nosso Brasil. Buscamos informações, fotos, biografias e um pouco antes de começar a premiação, ao som da gaita do nosso grande Bira Dantas, projetamos seus trabalhos, falamos sobre cada um e os saldamos com muitas palmas, em uma última homenagem, ou até ás vezes sendo a única homenagem que o artista teve em toda a sua carreira. Coisas de um Brasil sem memória. Mas para nós não. Essa é a marca e a obrigação do Troféu Angelo Agostini. Daí a importância de premiações como a nossa e também nossa co-irmã HQ Mix.

A categoria de Mestres, a mais importante do evento, ampliou-se também para uma pesquisa minuciosa, buscando artistas mais antigos, ou que trabalham ou trabalharam em grandes estúdios, sendo assim distantes da mídia, porém nunca esquecidos.
No ano passado tivemos a honra de premiar os artistas Sérgio Graciano e Sidnei Salustre, veteranos dos Estúdios Mauricio de Sousa, que só haviam sido homenageados internamente. 
A publicação deste jornal também foi outra novidade introduzida nessa nova fase. Circulando no dia do evento e posteriormente distribuído em gibitecas e centros culturais, apresenta textos e fotos dos premiados e seus trabalhos, tornando-se um registro do evento a cada ano. Para ler e guardar.

Assim, caminhamos para o 35o ano em 2019, com o apoio cada vez maior da classe quadrinhística, e também com as críticas que sempre nos acompanham, mas que fazem nós termos uma única certeza: estamos no caminho certo!

Muita coisa boa ainda vem por aí!
Parabéns a todos os ganhadores e muito obrigado ao público presente.
A festa é de vocês!"

(*) membro da AQC e um dos organizadores do Troféu AA

BANDAS EDUCATIVAS URUGUAIAS (PARTE 1)

Além de 20 pranchas do uruguaio Diego Jourdan, teremos mais 20 do projeto de Quadrinhos Educativos de Alejandro Rodriguez Huele e Nicolás Peruzzo. "Bandas Educativas" tem a participação dos melhores quadrinhistas uruguaios escrevendo e desenhando historietas breves sobre episodios da historia de seu país, em particular a da guerra da independência.
Nesta exposição do Memorial da América Latina teremos 20 páginas dos episódios históricos publicados.









1. El Congreso de Viena (roteiro de Silvio Galizzi, desenhos de Guillermo Hansz), projeto Los Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
2. Un Tranvía llamado Deseo (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de AlejaNicolás Peruzzo / Alejandro), projeto Ballet Nacional SODRE.
3. Los Negros de Soler (roteiro e desenhos Alejandro Rodríguez Juele), projeto El Jefe de los Orientales, 1811 a 1814.
4. El Exodo (roteiro de Alceo Thrasyvoulou, desenhos de Richard Ortíz), projeto El Año 11 en historietas.
5. Asalto a la Isla de Ratas (roteiro de Rodolfo Santullo, desenhos de Matías Bergara), projeto El Año 11 en historietas.
6. La Guerra de la Triple Alianza (roteiro de Rodolfo Santullo, desenhos de Guillermo Hansz), projeto Libertad o Muerte, de la Independencia al Militarismo.
7. El Congreso de Tucumán (roteiro e desenhos de Silva Bros), projeto Los Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
8. El Motín de Fontezuelas (roteiro e desenhos de Federico Murro), projeto Los Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
9. El Otro Yo (roteiro de Alceo Thrasyvoulou, desenhos de Juan Pablo Zorrilla), projeto Libertad o Muerte, de la Independencia al Militarismo.
10. El Reglamento de Tierras (roteiro de Martín Bentancourt, desenhos de Pablo Praino), projeto El Jefe de los Orientales, 1811 a 1814.

BANDAS EDUCATIVAS (PARTE 2)










11. La Invasión Portuguesa (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de Maco), projeto Los Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
E12
12. En Paraguay (roteiro de Rodolfo Santullo, desenhos de Matías Bergara), projeto Los Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
13. El Tió de Nadal (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de Alejandro Rodríguez Juele), projeto Historias y Leyendas Catalanas.
14. La Leyenda de Sant Jordi (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de Aleja Nicolás Peruzzo), projeto  Historias y Leyendas Catalanas.
15. Amaro, Candiotti y el Cráneo (roteiro de Alceo Thrasyvoulou, desenhos de Daniel González), projeto El Jefe de los Orientales, 1811 a 1814.
16. La Victoria del Cerrito (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de Aleja Renzo Vayra), projeto El Jefe de los Orientales, 1811 a 1814.
17. El Tilde Diacrítico (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de Nicolás Peruzzo), projeto  Cervantes enseña Español.
18. El Lado Oscuro de Otorgués (roteiro de Alceo Thrasyvoulou, desenhos de Richard Ortíz), projeto Los Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
19. La Liga Federal (roteiro de Nicolás Peruzzo, desenhos de AlejaNicolás PeruzzoLos Pueblos Libres, de 1815 a 1820.
20. La Toma del Colla (roteiro e desenhos de Nicolás Rodríguez Juele), projeto El Año 11 en historietas.