25 de dez de 2014

Troféu Angelo Agostini 2015

Pelo terceiro ano consecutivo, o Memorial da América Latina sera palco da festa de entrega do 31º Troféu Angelo Agostini, que acontecerá no dia 31 de janeiro, sábado, a partir das 13 horas. O Troféu foi criado em 1984, pela AQC Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo em homenagem ao desenhista ítalo-brasileiro Angelo Agostini, que em 30 de janeiro de 1869, publicou na revista Vida Fluminense, As Aventuras de Nhô-Quim, ou Impressões de uma viagem à Corte, considerada a primeira história em quadrinhos brasileira. O evento, que começa às 13 horas, terá uma ampla programação, com lançamentos de revistas, palestras, debates e a abertura da exposição “Brasil-África”, com a participação do cartunista congolês Jérémi Nsingi, que vem ao Brasil especialmente para a festa. A mostra apresenta trabalhos dos dois países e afirma ainda mais nossa proximidade com os artistas de lá, já que no ultimo Festival de Quadrinhos da Argélia, realizado em setembro, o Brasil foi o país homenageado. Ao final de uma tarde repleta de muitas atrações, acontecerá a entrega dos troféus aos melhores trabalhos produzidos em 2014 pelos quadrinhistas e cartunistas do Brasil, escolhidos em votação nacional por profissionais da área e aberta ao público em geral.
31º TROFÉU ANGELO AGOSTINI
Dia 31 de janeiro de 2015. A partir das 13 horas.
MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA
Auditório da Biblioteca Latino-Americana Victor Civita Entrada franca.

23 de dez de 2014

ESTES MESTRES JÁ GANHARAM (E NÃO PODEM MAIS SER VOTADOS)

1985 Jayme Cortez, Messias de Mello, Rodolfo Zalla, Eugênio Colonnese
1986 Gedeone Malagola, Nico Rosso, Júlio Shimamoto
1987 Flavio Colin, Sergio Lima, Henfil
1988 Cláudio Seto, João Batista Queiroz, Luiz Sá
1989 Rubens Francisco Lucchetti, Jaguar, Álvaro de Moya
1990 Miguel Penteado, Walmir Amaral, Ziraldo
1991 Aylton Thomas, Reinaldo de Oliveira, Primaggio Mantovi
1992 Izomar Camargo Guilherme, Ismael dos Santos, André LeBlanc
1993 Mauricio de Sousa, Waldir Igayara, Carlos Zéfiro
1994 Ely Barbosa, Lyrio Aragão, Getúlio Delphin
1995 Ivan Saindenberg, Paulo Fukue, Roberto Fukue
1996 Helena Fonseca, Paulo Hamasaki, Antonio Duarte
1997 Fernando Ikoma, Maria Aparecida Godoy, Oscar Kern
1998 Carlos Thiré, Manoel Victor Filho, Zezo
1999 Deodato Borges, Luiz Antonio Sampaio, Péricles
2000 Adolfo Aizen, Moacy Cirne, Renato Silva
2001 Edson Rontani, Ivan Watsh Rodrigues, Renato Canini
2002 Antonio Cedraz, Claudio de Sousa, Edmundo Rodrigues, Ignácio Justo, Ionaldo Cavalcanti, José Delbó, Luis Sátiro, Luiz Saindenberg, Luscar, Nani, Osvaldo Talo, Rubens Cordeiro, Zaé Júnior
2003 Otacilio D'Assunção, Laerte Coutinho, Moacir Rodrigues, Antônio Eusébio, Tony Fernandes
2004 Angeli, Angelo Agostini, Carlos Estêvão, Chico Caruso, Rivaldo
2005 Luiz Gê, Minami Keizi, Paulo Caruso
2006 Jorge Barkinwel, Lor, Sônia Luyten
2007 Gutemberg Monteiro, Luiz Teixeira da Silva (Tule), Xalberto
2008 Aníbal Barros Cassal, Antônio Luiz Cagnin, Diamantino da Silva, Fernando Dias da Silva, Ofeliano de Almeida, Salatiel de Holanda
2009 Emir Ribeiro, Deodato Filho, Mozart Couto, Sebastião Seabra, Sergio Morettini, Watson Portela
2010 Franco de Rosa, Henrique Magalhães, Rodval Mathias
2011 Dag Lemos, Eduardo Vetillo, E.C. Nickel, Elmano Silva, Novaes
2012 Bira Dantas, Fernando Gonsales, Moacir Torres
2013 Marcos Maldonado, Júlio Emílio Braz, Jô Fevereiro
2014 Byrata, Lourenço Mutarelli, Paulo Paiva Lima

PELA PRIMEIRA VEZ, TEREMOS TROFÉU WEB-QUADRINHOS!

Como anunciado na Gibicon Curitiba: "A tradição da AQC era só premiar autores de Quadrinhos publicados no velho e bom papel, reproduzidos das mais variadas formas: xerox, mimeógrafo, off-set, silk-screen. Mas, depois de muitas reinvidicações e algumas discussões, ao completar 31 anos ininterruptos de premiação, o mais antigo Troféu do Quadrinho Nacional se abre ao novo e virtualíssimo Quadrinho de Internet... aquele que não exige o investimento que o "QI" Quadrinho Impresso (que continuará sendo enaltecido pelo prêmio) exige, aquele que propicia que muita gente nova e talentosa promova sua arte sem os entraves do mercado, aquele que se mostra livre por natureza.
Nesta categoria, podem concorrer tanto revistas (ou fanzines) virtuais (disponibilizadas no formato PDF, CDR ou similar) como páginas na internet, blogs de tiras ou personagens... As artes podem ter sido feitas digitalmente ou escaneadas, não importa. O detalhe é que a forma de veiculação seja virtual.
Esperamos que os eleitores votem bem e sabiamente, e que os melhores vençam.