29 de jul de 2013

Video do lançamento do "AQC 100 VEZES" na Comix

Oficinas Gratuitas de HQs em SP, à partir de agosto


FanZines nas Zonas de Sampa - Oficinas de histórias em quadrinhos com encontros semanais, duração de 3 meses e carga horária total de 48 horas.

As oficinas são gratuitas e trabalham as técnicas de criação e produção de quadrinhos, da elaboração do roteiro ao desenvolvimento do desenho e texto. Ao final, cada turma monta um fanzine com as produções dos participantes.

Criado em 2006, o programa já recebeu mais de mil participantes e foi reconhecido ano passado com o 24º troféu HQ Mix, na categoria Grande Contribuição. Os encontros são coordenados por quadrinistas, ilustradores e pesquisadores atuantes na área. No segundo semestre, o programa oferecerá três módulos: Básico, Avançado e Mangá. A partir de 10 anos.
Inscrições diretamente na Biblioteca.

Módulo Básico

Biblioteca Castro Alves
Com Bicudo Jr.
As 3as feiras, das 14h às 17h, a partir de 6 de agosto

Biblioteca Viriato Correa
Com Ian da Rocha
As 4as feiras, das 14h às 17h, a partir de 7 de agosto

Biblioteca Sérgio Buarque de Holanda
Com Daniel e Will
As 5as feiras, das 14h às 17h, a partir de 1º de agosto

Biblioteca Raimundo de Menezes
Com Edson Pelicer
Aos sábados, das 9h às 12h, a partir de 3 de agosto

Biblioteca Nuto Sant’Anna
Com Fernando Santos
Aos sábados, das 13h às 16h, a partir de 3 de agosto

Módulo Avançado

Biblioteca Érico Veríssimo
Com Nobu, Will e Daniel
Aos sábados, das 10h30 às 13h30, a partir de 3 agosto

Biblioteca Paulo Setúbal

Com Nobu, Will e Daniel
Aos domingos, das 10h às 13h, a partir de  4 agosto

Biblioteca Rubens Borba
Com Rodrigo Silveira, Eloar Guazzelli e Mariana Lacerda
Aos sábados, das 10h às 13h, a partir de 3 de agosto
Módulo Mangá

Biblioteca Pedro Nava
Com Thiago Spyked
As 5as feiras, das 14h às 17h, a partir de 1º de agosto

Biblioteca Cora Coralina
Com Thiago Spyked
Aos sábados das 10h às 13h, a partir de 3 de agosto

Centro Cultural da Juventude - CCJ
Com Simonia
As 5as feiras, das 14h às 17h, a partir de 1 de agosto
   
Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes - CFCCT

Com Thiago Spyked
Aos sábados, das 15h às 18h, a partir de 3 de agosto
Mini Curso – 24 horas

Biblioteca José Mauro de Vasconcelos
Com Marcos Venceslau
As 4as feiras, das 14h às 17h, a partir de 7 de agosto

Biblioteca Adelpha Figueiredo

Com Marcos Venceslau
As 2as feiras, das 14h às 17h, a partir de 5 de agosto

25 de jul de 2013

Salão de Humor define comissões de análise das obras e abre workshops

Zelio Alves Pinto, um dos incentivadores do Salão, integra comissao de premiacao - Foto Léo Pinheiro
Cartunistas do mundo todo estão com os olhares voltados para o Salão Internacional de Humor de Piracicaba. A atenção é maior com a 40a edição, que encerrou as inscrições em 19 de julho e abre vagas para quatro workshops gratuitos. O CEDHU Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico) também definiu a comissão de seleção e premiação, responsável pela análise das caricaturas, charges, tiras e cartuns enviados para a mostra.

Para a seleção dos trabalhos, que ocorre nos dias 3 e 4 de agosto, foram convidados os cartunistas Pryscila Vieira, Natália Forcat, Gilmar, Lucas Leibholz e Paulo Branco, o ilustrador Rafael de Latorre e o professor universitário Celso Figueiredo Neto. “Escolhemos um júri de reconhecida atuação na área do desenho gráfico, que vão analisar questões como a qualidade técnica e a eficiência da mensagem aliados a proposta principal do evento, que é provocar o riso,” diz o cartunista Edu Grosso, diretor do CEDHU Piracicaba.

Na comissão de premiação, que se reúne em 17 de agosto, estão dois integrantes da Feco (Federação das Organizações dos Cartunistas): o português Carlos Brito e a argentina radicada na Alemanha Marlene Pohle. Há ainda a participação do português Antônio Moreira Antunes e os brasileiros Luciano Magno, Roberto Negreiros Faria Junior, Ciça Alves Pinto e Zélio Alves Pinto, que esteve no júri do Salão em 1974 e fez parte do grupo que incentivou a realização da primeira edição do evento.

A melhor obra nas categorias cartum, caricatura, charge e tiras/HQ recebe R$ 5 mil. O mesmo valor é entregue ao Prêmio Temático Futebol e ao Prêmio Júri Popular Alceu Marozi Righetto (com votação pela internet). O melhor trabalho entre os premiados conquista o Grande Prêmio Salão de Humor de Piracicaba – Zélio de Ouro (R$ 10 mil). As obras em Caricatura concorrem ao Prêmio Aquisitivo Câmara de Piracicaba (R$ 3.131,11). Há também o Prêmio Unimed Saúde (R$ 3 mil).

Realizado pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Secretaria da Ação Cultural (Semac) e pelo CEDHU Piracicaba, o Salão de Humor abre a mostra oficial em 24 de agosto, no Engenho Central. As visitas seguem até 20 de outubro.

INSCRIÇÕES – Com a proposta de aprimorar as técnicas dos artistas de humor gráfico, estão abertas as inscrições para quatro workshops, realizados em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Poesis – Organização Social de Cultura e Oficina Cultural Carlos Gomes, Unidade do Projeto Oficinas Culturais.

Entre os temas abordados estão narrativa gráfica para quadrinhos em mídia física e digital, linguagem dos quadrinhos, processo de produção diário para charges na imprensa e a valorização do desenho no espaço urbano. As aulas serão ministradas por Daniel HDR, Danilo Beyruth, Avelino e Gustavo Duarte.

Os workshops acontecem em períodos distintos, sempre aos sábados, e são destinados a interessados nas mais variadas faixas etárias, com diferentes níveis de formação. No site oficial do Salão de Humor é possível encontrar mais detalhes sobre prazos e critérios para inscrições. “A parceria com a Oficina Cultural Carlos Gomes, iniciada em 2010, representa um ganho significativo para o Salão, que precisa ser um espaço para discussões e aprendizados. A preocupação do Centro de Humor Gráfico é descobrir, incentivar e formar novos talentos na área, a partir do contato com profissionais respeitados”, diz Edu Grosso.

Desde a última segunda-feira (22), os funcionários do CEDHU Piracicaba estão empenhados em contabilizar os trabalhos enviados para a 40a edição. A expectativa é que o número de inscritos seja apurada na próxima semana e supere os números do Salão em 2012, quando 845 artistas de 64 países enviaram 3.442 obras.

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba surgiu em meio à ditadura militar como uma iniciativa corajosa de um grupo de piracicabanos apoiados por grandes nomes do humor nacional, como Millôr Fernandes, Jaguar, Fortuna, Henfil, Ziraldo, Zélio e Paulo Francis, à época responsáveis pelo irreverente jornal “O Pasquim”. Hoje é considerado hoje um dos maiores e mais tradicionais eventos do gênero no mundo.

SERVIÇO – 40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Abertura no dia 24 de agosto. Visitas de 25 de agosto a 20 de outubro. Informações: CEDHU Piracicaba (avenida Maurice Allain, 454, Parque do Engenho Central, Piracicaba); pelos telefones (19) 3403-2615 e 3403-2620 ou pelo site www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br.


Press office of the 40th International Humor Exhibition of Piracicaba
Marcela Delphino | Rodrigo Alves  | Rafael Bitencourt
(19) 9645-0009  | (19) 9147-5733 |  (19) 3403-2609

19 de jul de 2013

Humanos Nível Cinco + Eu & Outros Personagens

Humanos Nível Cinco #01
Criação de Mailton Santos e desenhos de Markos Slug

É uma história que se passa num futuro distante. Fauna e flora assim como os seres humanos sofrem as consequências dos avaços genéticos. Uma nova classificação de energia biológica pode ser o fato mais importante para o futuro da humanidade. Entre grupos que desejam usar esse achado para o bem comum e os que querem para se favorecer, está o próprio ser que carrega tal poder. Sendo este último o que irá decidir realmente o desfecho da história.

Capa colorida e miolo P&B, 30 pgs, 15,2x21,2 cm
R$ 5,00 + postagem

Contato para aquisição
https://www.facebook.com/#!/mlsjorel.jorel?fref=ts

Eu & Outros Personagens #01
De Jailson Barros

Quem sou? Quem devo ser? O que estou fazendo aqui? Perguntas universais num personagem singular. Essa é a essência desse quadrinho. Em volta do questionamento e da dúvida vive esse ser, que respira indagações, desenvolve junto com outros personagens inusitados situações cômicas e inesperadas.

Capa colorida e miolo P&B, 38 pgs, 14,2x21,0 cm
R$ 10,00 + postagem

Contato para aquisição
https://www.facebook.com/#!/jailson.barros.908?fref=ts

18 de jul de 2013

Triplo lançamento na GIBITERIA em SP

GIBITERIA, Livraria Especializada em Quadrinhos:
Praça Benedito Calixto, 158 - Jardim Paulista, São Paulo, 05406-040
(11) 3167-4838

17 de jul de 2013

GRANDE SUCESSO NO LANÇAMENTO DE "100 VEZES AQC"

O último sábado foi um dia especial na Comix. Além da mega promoção com descontos de 20% em livros e gibis, fizemos o lançamento da nova publicação da AQC, organizada por Worney Almeida de Souza.
Os autores que compareceram ao lançamento: Bira Dantas, Anita Costa Prado, Batata, Marcelo Saravá, Marcos Venceslau, Primaggio, Rice Araujo, Diogo Salles, Eder Santos, Fabiana Menassi, Fernando dos Santos, Floreal Andrade, Gazy Andraus, Gilmar, Jô Fevereiro, Joás Dias de Lima, Johan Lagger, Juliano, Julio Cesar Magalhães, Lexy Soares, Luigi Rocco, Marcatti, Vania Machado, Will e Xalberto.
(Fotos de Fabi Menassi)
A grande festa teve a presença de 32 autores e segundo o Jorge (proprietário da Comix), estiveram lá 650 pessoas. Uma parte convidada dos quadrinhistas ou que soube do lançamento pela internet... Mas mesmo os que foram na loja pela promoção, uma boa parte acabou comprando o livro! O livro está à venda na página da Comix Book Shop. http://www.comix.com.br/
“100 Vezes AQC”, um panorama abrangente da Arte Quadrinizada.
Saiu o livro “100 Vezes AQC”, que reúne 100 histórias em quadrinhos de uma página cada de oito roteiristas e 100 desenhistas. Realizado pela Associação de Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) e pela editora Laços, a publicação apresenta um panorama abrangente da arte quadrinhizada. Com temas, motivações, inspirações, influências e traços diferentes, “100 Vezes AQC” é uma seleção inédita que abarca autores consagrados, profissionais habilidosos e jovens promessas. Agregando doses certas de humor, aventura, ficção, terror, fantasia, drama, poesia, experimentalismo, imaginação e muito talento.
Os 108 artistas são os seguintes: Al Ferreira, Aldo Maes dos Anjos, Aleph, Amaro Braga, Anita Costa Prado, Antônio Cedraz, Antônio Eder, Arthur Filho, Aurélio Gomes, Batata, Bernardo Aurélio, Bira Dantas, Cadu Simões, Carlos Brandino, Cival Einstein, Cleuber Cristiano, Daniel Barraco, Daniel Linhares, Dario, Décio Ramírez, Denis Mello, Dennis Rodrigo Oliveira, Diamantino da Silva, Diogo Dornelles, Diogo Salles, Edenilson Fabricio da Silva, Eder Santos, Edgard Guimarães, Edmundo Rodrigues, Edu Mendes, Elton Carlos Ribeiro de Almeida, Elton Takumi Kawamorita, Ernani Rodrigues Cousandier, Everton Soares Cosme, Fabiana Menassi, Fábio Guimarães, Fábio Q, Fernando dos Santos, Fernando Gonsales, Floreal de Andrade, Francisco APS, Francisco Vilachã, Franco de Rosa, Gazy Andraus, Gilberto Maringoni, Gilmar, Gilton Ferreira, Henrique Magalhães, Ideraldo, James Becerra Becerra, Jean Okada, Jefferson Ferreira dos Santos, Jô Fevereiro, Joás Dias de Lima, Johan Lagger, Josival da Fonseca Silva, Juliano, Juliano Custódio, Juliano Oliveira, Júlio Magalhães, Júlio Shimamoto, Julius Ckvalheiyro, Júnior Alves Dutrelo, Leonardo Santana, Lexy Soares, Luciano Giovani, Luigi Rocco, Mancini Júnior, Marcatti, Marcelo Saravá, Márcio Baraldi, Marcos Venceslau, Mário Cau, Matheus Moura, Mickken Gonçalves, Moacir Torres, Morgani, Nickel, Novaes, Paulo Alves, Perkins Moreira, Primaggio, Rafael Grasel, Renato Hack, Ricardo Manhães, Rice Araújo, Roberto Hollanda, Rodrigo Costa, Rogério Brandão, Rogério Faria, Ronaldo Mendes, Salvador Messina, Savio, Sergio Morettini, Tako X, Tereza Zuba, Thiago Leal, Thina Curtis, Valdeci Carvalho, Vania Machado, Vaqs, Vinicius Rodrigues, Walkir Fernandes, Wanderley Felipe, Wellington Santos, Will, William MR e Xalberto.
“AQC 100 Vezes” é um espaço conquistado para todos. Uma edição que agrega estilos, traços, motivações, roteiros, experiências de vida, expectativas e capacidades diferentes. Um castelo que foi construído, tijolo a tijolo, todos de formatos, cores e densidades dispares. Cada trabalho trás uma novidade, uma surpresa e a constatação de que a arte quadrinhizada cresce na adversidade. Com nosso minguado mercado de trabalho, os artistas se esforçam em encontrar seu espaço com mais dedicação, mais imaginação e uma imensa qualidade.
Serviço: “AQC 100 Vezes” (Editora Laços e AQC-ESP, tamanho: 14 x 21 cm, p&b, 140 pgs., lombada quadrada, R$ 35,00)

EXPOSIÇÃO "HQ: A HISTÓRIAS DAS NOSSAS HISTÓRIAS", NA BAHIA!

Batalhadores da Nona Arte baiana, como Marcos Franco, Stephanie Barbosa, Zilda Marcelina e George Silva, tentam aumentar o alcance dos Quadrinhos em Cachoeira. De 11 a 25 de julho, aconteceu a exposição "HQ: A Histórias das Nossas Histórias" no Salão do CAHL (Centro de Artes, Humanidades e Letras) da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), em Cachoeira (BA).
A proposta da mostra foi inserir o Quadrinho em um novo espaço, permitindo que ele, obviamente, chegasse a um novo público. Que traga visibilidade a essa mídia, ajudando a alimentar as discussões a respeito da sua inserção no âmbito dos museus. Sobretudo, fazendo uma justa homenagem à Angelo Agostini, pioneiro dos quadrinhos no país, e a diversos outros abnegados do "traço", que com muito suor e nanquim fizeram e fazem a história do quadrinho nacional.
A exposição mostrou reproduções de páginas e publicações de Flávio Colin (in memoriam), José Lanzellotti (in memoriam), Jô Oliveira, Primaggio Mantovi, Gustavo Machado, Allan Goldman, Francisco Sebastião Vilachã,José Márcio Nicolosi, Leonardo Melo, Gil Mendes Lorde Kramus, Giorgio Galli, João Pinheiro, Haroldo Magno, Sivanildo Sill, Anita Costa, Lincolin Nery, André Betonasi, Octávio Aragão, Carlos Rezende, Paula Mastroberti, Mário Cau, Cristina Judar e José Márcio, entre outros.
Parabéns aos organizadores! http://editoraemt.blogspot.com.br/2013/04/hq-historia-das-nossas-historias.html

15 de jul de 2013

40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba recebe inscrições até sexta-feira

Ainda há tempo para participar da 40ª edição do Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Apesar das grandes mudanças ocorridas no cenário político brasileiro desde 1974, quando o evento foi criado em protesto à ditadura militar, sempre haverá o que ser observado, apontado, criticado. Mas não apenas na política, com tema livre, o Salão incentiva o riso e a crítica diante de diversas abordagens, entre elas futebol e saúde. As inscrições seguem até sexta-feira (19). Presidido pelo jornalista e publicitário Carlos Colonnese, o 40º Salão oferece R$ 46 mil em prêmios. Os trabalhos devem ser enviados via internet ou Correios e o regulamento está no www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br. Cada artista pode enviar no máximo três obras por categoria: Cartum, Caricatura, Charge e Tiras/HQ. Também são aceitas obras tridimensionais com teor humorístico. O prêmio para cada uma é de R$ 5 mil. Em 2013, a organização também sugere o desenvolvimento de obras sobre Futebol, que concorrerão ao prêmio temático de R$ 5 mil, e o Prêmio Unimed (R$ 3 mil), que será oferecido ao artista gráfico que desenvolver o melhor trabalho com o tema Saúde. O Salão conta, ainda, com o Prêmio Aquisitivo Câmara de Vereadores de Piracicaba (R$ 3.131,11), exclusivo para Caricatura; o Grande Prêmio Salão de Humor de Piracicaba – Zélio de Ouro (R$ 10 mil), concedido ao melhor entre os premiados; e o Prêmio Júri Popular Alceu Marozi Righetto (R$ 5 mil), com votação pela internet. Além do valor monetário, os autores premiados recebem troféus (criação de Zélio Alves Pinto). “Os temas escolhidos pelos artistas, por vezes, refletem a insatisfação com a realidade social, política e econômica de onde vivem. Assim, abrimos espaço para a crítica contundente e bem-humorada e criamos um acervo que reflete a história do Brasil e do mundo nas mais diversas vertentes”, comenta o cartunista Eduardo Grosso, diretor do CEDHU Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico). HISTÓRIA – Movimento de contestação à ditadura, o Salão surgiu da iniciativa corajosa de piracicabanos com apoio de grandes nomes do humor, como Millôr Fernandes, Jaguar, Fortuna, Henfil, Ziraldo, Zélio e Paulo Francis, à época responsáveis pelo jornal “O Pasquim”. Desde então, o evento é vitrine para grandes profissionais do cartunismo, como Laerte Coutinho, Glauco Villas Boas, Angeli, Alcy Linares, Paulo e Chico Caruso. Um dos mais tradicionais do mundo, o Salão de Humor de Piracicaba realizou no ano passado a maior mostra da história do evento, com 436 obras, selecionadas entre 3.442 inscritas. Ao júri de seleção coube analisar os trabalhos de 845 artistas de 64 países. VERSÃO MIRIM – As crianças também têm vez no 11º Salãozinho de Humor de Piracicaba, com inscrições até 12 de agosto. Para participar, é preciso estar matriculado na rede pública ou privada de ensino e possuir entre 7 e 14 anos. O Salãozinho segue os moldes do Salão Internacional de Humor. Os desenhos passam por uma comissão de seleção e premiação e os três primeiros colocados recebem prêmios, divididos em 7 a 10 e 11 a 14 anos. Cada estudante pode enviar até duas obras nas categorias charge, caricatura, cartum ou tiras/história em quadrinhos. São aceitos desenhos em qualquer técnica e tema livre. MOSTRAS ABERTAS – Até 31 de julho duas mostras estão em destaque nas cidades de São Paulo e Campinas. A primeira, intitulada Caricaturas do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, traz 30 caricaturas de celebridades nacionais e gringas na Estação Clínicas do Metrô. No interior paulista permanece em cartaz na Galeria Sede a exposição 40 Anos de Humor – Pré Pira: Campinas Abraça o SHP, com caricaturas, charges e tiras de artistas consagrados que passaram pelo tradicional evento. Realizado pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Secretaria da Ação Cultural, e pelo CEDHU Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico), o Salão abre sua mostra oficial no dia 24 de agosto, no Engenho Central. SERVIÇO – Inscrições para o 40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Até sexta-feira (19 de julho). Inscrições para o 11º Salãozinho de Humor de Piracicaba. Até 12 de agosto. Informações e envio de trabalhos: CEDHU Piracicaba (avenida Maurice Allain, 454, Parque do Engenho Central, Piracicaba-SP – CEP 13405-123). Exposição Caricaturas do Salão Internacional de Humor, até 31 de julho, na Estação Clínicas do Metrô. Entrada gratuita. Exposição 40 Anos de Humor em Piracicaba, na Galeria Sede (rua Sampaio Peixoto, 368, Cambuí, Campinas). Visitas até 31 de julho, das 10h às 16h. Entrada gratuita. Informações: (19) 3403-2615, contato@salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br ou www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br. Assessoria de imprensa do 40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba Press office of the 40th International Humor Exhibition of Piracicaba Marcela Delphino | marcela.delphino@gmail.com | (19) 9645-0009 Rodrigo Alves | rasilvad@gmail.com | (19) 9147-5733 Rafael Bitencourt | rbitencourt@piracicaba.sp.gov.br | (19) 3403-2609

13 de jul de 2013

Lançamento do coletânea "AQC 100 Vezes" na COMIX



“100 Vezes AQC”, Um Panorama Abrangente da Arte Quadrinhizada. 

Saiu o livro “100 Vezes AQC”, que reúne 100 histórias em quadrinhos de uma página cada de oito roteiristas e 100 desenhistas. Realizado pela Associação de Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) e pela editora Laços, a publicação apresenta um panorama abrangente da arte quadrinhizada. Com temas, motivações, inspirações, influências e traços diferentes, “100 Vezes AQC” é uma seleção inédita que abarca autores consagrados, profissionais habilidosos e jovens promessas. Agregando doses certas de humor, aventura, ficção, terror, fantasia, drama, poesia, experimentalismo, imaginação e muito talento.

 Os 108 artistas são os seguintes: Al Ferreira, Aldo Maes dos Anjos, Aleph, Amaro Braga, Anita Costa Prado, Antônio Cedraz, Antônio Eder, Arthur Filho, Aurélio Gomes, Batata, Bernardo Aurélio, Bira Dantas, Cadu Simões, Carlos Brandino, Cival Einstein, Cleuber Cristiano, Daniel Barraco, Daniel Linhares, Dario, Décio Ramírez, Denis Mello, Dennis Rodrigo Oliveira, Diamantino da Silva, Diogo Dornelles, Diogo Salles, Edenilson Fabricio da Silva, Eder Santos, Edgard Guimarães, Edmundo Rodrigues, Edu Mendes, Elton Carlos Ribeiro de Almeida, Elton Takumi Kawamorita, Ernani Rodrigues Cousandier, Everton Soares Cosme, Fabiana Menassi, Fábio Guimarães, Fábio Q, Fernando dos Santos, Fernando Gonsales, Floreal de Andrade, Francisco APS, Francisco Vilachã, Franco de Rosa, Gazy Andraus, Gilberto Maringoni, Gilmar, Gilton Ferreira, Henrique Magalhães, Ideraldo, James Becerra Becerra, Jean Okada, Jefferson Ferreira dos Santos, Jô Fevereiro, Joás Dias de Lima, Johan Lagger, Josival da Fonseca Silva, Juliano, Juliano Custódio, Juliano Oliveira, Júlio Magalhães, Júlio Shimamoto, Julius Ckvalheiyro, Júnior Alves Dutrelo, Leonardo Santana, Lexy Soares, Luciano Giovani, Luigi Rocco, Mancini Júnior, Marcatti, Marcelo Saravá, Márcio Baraldi, Marcos Venceslau, Mário Cau, Matheus Moura, Mickken Gonçalves, Moacir Torres, Morgani, Nickel, Novaes, Paulo Alves, Perkins Moreira, Primaggio, Rafael Grasel, Renato Hack, Ricardo Manhães, Rice Araújo, Roberto Hollanda, Rodrigo Costa, Rogério Brandão, Rogério Faria, Ronaldo Mendes, Salvador Messina, Savio, Sergio Morettini, Tako X, Tereza Zuba, Thiago Leal, Thina Curtis, Valdeci Carvalho, Vania Machado, Vaqs, Vinicius Rodrigues, Walkir Fernandes, Wanderley Felipe, Wellington Santos, Will, William MR e Xalberto.

 “AQC 100 Vezes” é um espaço conquistado para todos. Uma edição que agrega estilos, traços, motivações, roteiros, experiências de vida, expectativas e capacidades diferentes. Um castelo que foi construído, tijolo a tijolo, todos de formatos, cores e densidades dispares. Cada trabalho trás uma novidade, uma surpresa e a constatação de que a arte quadrinhizada cresce na adversidade. Com nosso minguado mercado de trabalho, os artistas se esforçam em encontrar seu espaço com mais dedicação, mais imaginação e uma imensa qualidade.

Para compartilhar essa experiência convidamos todos os interessados para o lançamento do livro “AQC 100 Vezes”, no próximo sábado, 13 de julho de 2013, a partir das 14h, na Comix Book Shop, na Alameda Jaú, 1998, próximo do metrô Paulista, telefone: 3088-9116. Com a presença de muitos dos 108 autores para uma tarde de autógrafos.

Serviço: “AQC 100 Vezes” (Editora Laços e AQC-ESP, tamanho: 14 x 21 cm, p&b, 140 pgs., lombada quadrada, R$ 35,00)

Worney Almeida de Souza

10 de jul de 2013

Metrô de São Paulo expõe caricaturas do Salão de Humor de Piracicaba

Uma brecha para o riso na correria do cotidiano é o que as 69 mil pessoas que circulam diariamente pela Estação Clínicas do Metrô de São Paulo encontrarão, a partir desta quarta-feira (10), na exposição Caricaturas do Salão Internacional de Humor. A mostra traz 30 obras do acervo do CEDHU Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico), a maioria de brasileiros consagrados que tiveram seu talento reconhecido no tradicional evento das artes gráficas realizado no interior paulista, que chega aos 40 anos em 2013.

As caricaturas selecionadas retratam personalidades famosas do cenário nacional, como Maguila, Raul Cortez, Zé do Caixão, Gilberto Gil, Oscar Niemeyer, Tim Maia, Chico Buarque, Dercy Gonçalves e Dunga; e internacional, como papa Bento 16, Frida Kahlo, Mike Tyson, Louis Armstrong, Madre Teresa de Calcutá, Winston Churchill, Hugo Chávez e tantos outros.

Entre os brasileiros que assinam as obras está o grande vencedor do último Salão de Humor, Bruno Hamzagic de Carvalho, de Taboão da Serra (SP). E há também o mexicano Carlos David Fuentes Hierrezuelo, o iraniano Saeed Sadeghi e o colombiano Sílvio Vela Correa.

A mostra permanece na Estação Clínicas até o dia 31 de julho e reabre de 10 a 31 de agosto na Estação Corinthians-Itaquera (Linha 3 – Vermelha) e de 10 a 31 de setembro na Estação Luz (Linha 1 – Azul).

Essa é a segunda vez que obras do Salão são expostas no Metrô. Em 2011, uma seleção de cartuns e caricaturas foi apresentada aos passageiros. “Parcerias que resultem em exposições do acervo do Salão em locais de grande visibilidade têm sido uma meta nos últimos anos e as estações do Metrô se enquadram perfeitamente nesse contexto. O público vai se encantar com o apelo visual das caricaturas e com a organização dispensada pelo Metrô na apresentação das obras”, afirma o cartunista Eduardo Grosso, diretor do CEDHU Piracicaba.

A secretária municipal da Ação Cultural, Rosângela Camolese, considera a parceria significativa para o Salão de Piracicaba, que recebe todos os anos turistas paulistanos para conferir as charges, caricaturas, cartuns e histórias em quadrinhos expostos no Engenho Central, um dos mais importantes cartões postais da cidade. “Considerando o grande número de pessoas que circularão pela mostra, temos certeza que o Salão ganhará em visibilidade, fundamental no contexto atual, que marca os 40 anos do evento”.

A mostra é uma realização da Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal da Ação Cultural em parceira com a Companhia do Metropolitano de São Paulo, por meio do CEDHU Piracicaba, responsável pelo Salão de Humor.

QUATRO DÉCADAS – O Salão Internacional de Humor de Piracicaba, um dos mais tradicionais do mundo, abre sua mostra oficial no dia 24 de agosto, no Engenho Central, com visitas até 20 de outubro. Além da mostra principal, o CEDHU Piracicaba realiza o Salãozinho de Humor, revelando talentos entre 7 e 14 anos.

Este ano os artistas são incentivados a produzir caricaturas, charges, cartuns e histórias em quadrinhos com os temas Futebol e Saúde, que concorrem, respectivamente, ao Prêmio Temático e ao Prêmio Unimed-Saúde. Ao todo são R$ 46 mil em prêmios aos primeiros colocados.

As inscrições para envio de trabalhos no Salão de Humor estão abertas até 19 de julho e para o Salãozinho o prazo vai até 12 de agosto. O jornalista e publicitário Carlos Colonnese, um dos fundadores do evento, é o presidente desta edição.

Movimento de contestação e resistência à ditadura militar, o Salão de Humor surgiu em 1974. Iniciativa corajosa de um grupo de piracicabanos, recebeu apoio de grandes nomes do humor nacional, como Millôr Fernandes, Jaguar, Fortuna, Henfil, Ziraldo, Zélio e Paulo Francis, à época responsáveis pelo irreverente jornal “O Pasquim”. Desde a sua criação, serviu de vitrine para grandes profissionais do cartunismo e humor brasileiros, como Laerte Coutinho, Glauco Villas Boas, Angeli, Alcy Linares, os irmãos Paulo e Chico Caruso e tantos outros.

SERVIÇO – Exposição Caricaturas do Salão Internacional de Humor, de 10 a 31 de julho, na Estação Clínicas do Metrô (Linha 2 – Verde). Entrada gratuita. Mais informações: (19) 3403-2615 ou www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br.

Assessoria de imprensa do 40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba
Press office of the 40th International Humor Exhibition of Piracicaba

Rodrigo Alves | rasilvad@gmail.com | (19) 9147-5733
Marcela Delphino | marcela.delphino@gmail.com | (19) 9645-0009
Rafael Bitencourt | rbitencourt@piracicaba.sp.gov.br | (19) 3403-2609

9 de jul de 2013

UM TALENTO QUE ATRAVESSA GERAÇÕES

a trajetória de Izomar Camargo Guilherme



UM SONHO DE MENINO

Capa de Izomar para a revista MAZZAROPI

Nos anos 1950, enquanto desenhava belissimas capas para a Editora La Selva, Jayme Cortez formava pelo Brasil um pequeno fã-clube. Eram jovens aspirantes a desenhistas, que queriam trabalhar com hqs. Na pequena cidade de Assis, interior de São Paulo, um jovem se preparava para mandar seus desenhos para avaliação. Sonhava em trabalhar com histórias em quadrinhos, era sua paixão. 

Viajou então para a capital, e esperava sair daquele sobrado da V. Mariana, sede da La Selva, com algum trabalho embaixo do braço. Cortez avaliou seus desenhos e soltou a seguinte frase:  — Isso não pode ser o trabalho de um profissional! —e jogou em cima da mesa, aquelas folhas rabiscadas com tanta esperança. 

Para muitos o que poderia ser um trauma, para o jovem Izomar Camargo Guilherme foi estímulo.  A rudez das palavras (caso semelhante teria ocorrido com Julio Shimamoto, outro grande mestre), serviram para que ele aprimorasse seu traço e melhorasse cada vez mais. Essa era a intenção de Cortez
Tanto que algum tempo depois, ele encomendou o primeiro trabalho ao rapazote. 


Assim, o jovem passou a desenhar para a revista FUZARCA E TORRESMO, com roteiros de Claudio de Souza. Fazia também a arte final a pincel. Tudo era feito em cartolina, pois não existia papel especial. 

Dali se seguiram participações em CAREQUINHA E FRED, com histórias de uma página, e as incríveis capas da revista MAZZAROPI, que até então eram feitas apenas pelo Cortez.

                   Capa de Izomar Camargo Guilherme para a revista MAZZAROPI, n. 18.


Na revista FANTASIA, também da La Selva (1960-61), Izomar fazia tudo. Roteiro, desenho e arte final. Para ela, criou os personagens Dingo e Dungo, que fizeram grande sucesso.
Aventurou-se também no gênero "terror", sempre convidado por Cortez, cujo traço imitava com perfeição.

Até ser convidado pelo seu amigo Waldyr Igayara de Souza, a trabalhar na Abril. A pequena editora paulista já caminhava para ser a líder e ameaçava a supremacia dos grupos cariocas, como Ebal, O Cruzeiro, Bloch e RGE (Roberto Marinho). 
Seu trunfo eram os gibis Disney e a produção de suas hqs no Brasil, iniciada em 1961. 

Izomar começou fazendo capas para a revista ZÉ CARIOCA, e depois muitas hqs, quase sempre em parceria com Igayara nos roteiros.


Página da hq UM FESTIVAL EMBANANADO, uma das muitas feitas pela dupla Igayara e Izomar. Produzida em 1968, satirizava os festivais de música da época. Foi republicada em 2012, no ESPECIAL ZÉ CARIOCA 70 ANOS.


Em 1968 participou junto a Igayara, Sonia Robatto e Ruth Rocha, da criação de um marco na história das  publicações brasileiras: a revista RECREIO. 
Denominada a "revista-brinquedo", RECREIO vinha direcionada às crianças em idade pré-escolar e trazia contos, atividades e brinquedos para recortar e montar. 

Foi um sucesso estrondoso, chegando a ser adotada em escolas por todo o país, como material paradidático. Lançou muitos autores como Ana Maria Machado, Flavio de Souza,  Eliana Sá, e fez saltar no jovem Izomar a veia de escritor. Entre muitos contos infantis que escreveu e ilustrou, GELOSO, O GELINHO (publicada em RECREIO n. 60, 1970) foi um dos que mais fez sucesso, tanto que motivou a Editora Moderna a transformá-lo em livro alguns anos depois.

A revista RECREIO foi um divisor de águas e deu impulso à produção de literatura infantil, lançando novos autores




Com o sucesso da publicação, Izomar torna-se Diretor de arte da editora, atuando no Departamento de Criação, cuidando das capas e também do conteúdo de boa parte dos títulos em quadrinhos da década de 1970 e 80. Sob sua direção estavam Henrique Farias, Luiz Podavin, Napoleão Figueiredo, Paulo José da Silva, entre outros. 
Deu oportunidade e orientou muitos jovens na arte dos quadrinhos. Como fez em 1972, quando  recebeu em sua sala um menino de apenas 13 anos que sonhava desenhar quadrinhos Disney. O menino apelidado depois de Chin era Euclides Kioto Miyaura, considerado hoje um dos maiores desenhistas Disney brasileiros, publicando inclusive em outros países.

Em paralelo, Izomar continuou sua carreira como autor infantil, lançando as obras A LAGARTIXA QUE VIROU JACARÉ, UM PEIXINHO DO OUTRO MUNDO e BRIGA DE UMA NOTA SÓ, todas ilustradas por ele. Seus livros acabam de chegar  à Europa, Estados Unidos e América Latina.




E assim Izomar foi se distanciando dos quadrinhos e se dedicando mais a escrever e desenhar. Ao sair da Abril na segunda metade da década de 1990, passou a ilustrar livros didáticos. 

Aos 74 anos, Izomar é um artista incansável. Continua atuante, desenhando para várias editoras. Por opção, não aderiu à modernidade.

É um dos últimos representantes de uma geração em que a arte era feita em papel Schoeller, a lápis, coberto com nanquim preto e colorida com tintas guache, ecoline ou aquarela. Arte pura, sem computador.


 Mural com desenhos feitos pelos alunos da Escola Presidente Vargas, em abril de 2013, após a leitura da obra A LAGARTIXA QUE VIROU JACARÉ.

Quer encontrá-lo? Quando não está debruçado na prancheta fazendo o que mais gosta, poderá vê-lo em suas caminhadas diárias pela Avenida Paulista, próximo de sua casa. Ou em uma cafeteria que frequenta na mesma avenida, onde entre suas altas gargalhadas e seu bom humor, cativa a todos contando histórias da vida. Que o diga a atendente Cristina, fã do freguês assíduo.

Capa de Izomar para a edição do Círculo do Livro de EMÍLIA NO PAÍS DA GRAMÁTICA,
obra de Monteiro Lobato.

Eu o encontro quando olho para um quadro na parede do meu escritório, que protege a arte original de capa do gibi MAZZAROPI, feita por ele em 1958. Apesar do papel amarelado pelo tempo, a arte continua belíssima e parece que foi feita ontem. 

Essa capa me transporta para o tempo da Editora La Selva, de Jayme Cortez, dos gibis do MAZZAROPI, OSCARITO E GRANDE OTELO e dos grandes profissionais que se formaram ali, do menino Izomar que sonhava em desenhar quadrinhos e o fez com maestria, ensinando e lançando muitos profissionais. 

E quando volto aos dias de hoje, o encontro firme, forte e atuante, ilustrando para livros didáticos e paradidáticos em editoras como Moderna, Saraiva, FTD, entre outras.

 O quadro da esquerda é a capa original da revista MAZZAROPPI, n. 18, criação e arte de Izomar (veja a reprodução da capa impressa lá pra cima). Ao lado, capa também original do mestre Jayme Cortez para FUZARCA E TORRESMO. Ambas dos anos 1950.

Sua arte, enquadrada ali na parede, sobrevive ao tempo e atravessa gerações. 

O artista também.   





Os livros de Izomar podem ser adquiridos aqui:

http://www.modernaliteratura.com.br/main.jsp?lumPageId=4028818B30410B7A01304BB1FE4E5C7C&itemId=9EB72E05F55A4BE39D5C981BE8232001

Agradecimento especial:
Alexandre Miasato Uehara

FONTES CONSULTADAS:

Marcos Dhotta - carissimascatrevagens.blogspot.com




bibliotecadaescolapresidentevargas.blogspot.com.br

Museu Mazzaropi

Especial Zé Carioca 70 Anos - Editora ABRIL, nov. 2012.

5 de jul de 2013

O rebuliço apaixonante dos fanzines


Imagem inline 1


Imagem inline 2O rebuliço apaixonante dos fanzines é
uma adaptação da dissertação de
Mestrado de Henrique Magalhães, defendida
em 1990 na Escola de Comunicação
e Artes da USP, São Paulo. O texto aborda
a história dos fanzines desde sua origem,
no final da década de 1920 nos Estados
Unidos, mas estuda prioritariamente a
produção brasileira, desde 1965, quando
iniciou-se, até o final da década de 1980.
Além da história dos fanzines, Henrique
descreve seus momentos de esplendor
e crise, até a incansável busca de
perspectivas e saídas para a produção. A
introdução do livro faz um estudo sobre
imprensa alternativa e as publicações reflexivas
do mercado. Apesar de o trabalho
ter o recorte temporal até o final da
década de 1980, aponta as tendências que
se confirmariam no decorrer da década
seguinte, como a retomada da produção
e o aperfeiçoamento técnico com a disseminação
da informática.

A terceira edição do livro traz ampla
revisão do texto e reformulação estrutural,
além do reforço no aspecto iconográfico,
que se considera essencial para o estudo
desse tipo de publicação
 
Abraço, Henrique

4 de jul de 2013

AQC APOIA MOSTRA "HUMOR DE PIRACICABA", REALIZADA POR CARRIERO, EM CAMPINAS

40 ANOS DE HUMOR
(Fabiano Carriero)
"Já estamos às vésperas de iniciar o lendário Salão de Humor de Piracicaba, o qual irá completar seus 40 anos de existência neste ano. E nós, da cidade das andorinhas, temos o dever de homenagear esse que foi e é uma das maiores referências de humor do mundo e, talvez, do universo. Evento que revelou tantos grandes cartunistas como Glauco, Angeli, Laerte, Dalcio, Baptistão, Fernandes, meu amigo Manohead e muitos outros vencedores. Em Campinas, acho que o Ziraldo disse isso, temos um pequeno celeiro de craques do humor; então, resolvi eu, Carriero, fazer uma mostra com mais de trinta caricaturas, charges e mais de vinte nomes de artistas consagrados que passaram pelo grande Salão. Nessa mostra, que acontecerá dia 5 de julho, na Galeria Sede, Rua Sampaio Peixoto, 368, Cambuí, Campinas-SP, poderá ser vista uma pequena parcela de humor. E vocês estão convidados! Venham, pois a arte, o saber e o aroma da pamonha vem de longe." http://www.facebook.com/events/263087673833464/
Carriero, filho legitimado e adotado pelo Salão!
*Algumas obras desda exposição são do meu acervo pessoal, que venho obtendo através de “troca-troca”, sem bobagem, segue:
Alex Souza
Bira Dantas
Bruno Hamzagic
Carriero
Dalcio
Dimaz
Fernades
Fernando Tetsuo
Gilmar
Junior Lopes
Junião
Marcos Noel
Manohead
Mello
Mônico
Stegun
Paffaro
Paulo Branco
Robinson
Ulisses APOIO Salão de Humor de Piracicaba CDHU
AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistasdo Estado de São Paulo)
Galeria Sede
Pandora (Escola de Arte)
Loja Disorder
Riva Rock Discos
Dj Barata
Trashcan Records
Carriero Estúdio Mostra em Campinas reúne acervo do Salão Internacional de Humor de Piracicaba (Rodrigo Alves)
Parte do acervo de quatro décadas do Salão Internacional de Humor de Piracicaba pode ser conferida a partir desta sexta-feira (5), em mostra na Galeria Sede, em Campinas. Intitulada 40 Anos de Humor – Pré Pira: Campinas Abraça o SHP, a exposição reúne caricaturas, charges e tiras de artistas consagrados que passaram pelo tradicional evento, incluindo nomes campineiros. As visitas seguem até 31 de julho, com entrada gratuita.
Ao conceber a mostra, o artista Fabiano Carriero, que assina a curadoria, reuniu trabalhos de seu acervo, produzidos por colegas cartunistas que participaram do Salão, e incorporou outros trabalhos pinçados na sede do CEDHU Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico), órgão da Secretaria Municipal da Ação Cultural responsável pelo Salão de Humor.
“Resolvi fazer esta mostra, com apenas trabalhos já selecionados nos 40 anos de Salão. Algumas obras foram trocadas com outros artistas, assim produzindo meu acervo. Outras são de amigos que fiz e mais este acréscimo, que o Salão forneceu”, destaca Carriero.
Entre os cartunistas campineiros estão dois craques do traço: Dálcio Machado, cartunista, chargista e caricaturista do jornal Correio Popular e da revista Veja, e Paulo Branco, professor na Escola Pandora e IDE Escola de Arte. De Campinas ainda participam Bira Dantas, Renato Stegun, Fernando Tetsuo e Dimas Restivo. A região está representada por Gustavo Paffaro e Mônico Reis, de Vinhedo, e por Alex Souza e Robinson José, de Sumaré.
Há ainda produções com a assinatura de Bruno Hamzagic de Carvalho, grande vencedor do Salão em 2012, e de Fabrício Rodrigues Garcia, o Manohead, que conquistou na edição passada o Prêmio Júri Popular Alceu Marozi Righetto. Os demais artistas presentes são Junior Lopes, Marcos Noel, Antônio Carlos de Paula Júnior (Junião), Marcos Noel, Silvano Mello, Ulisses, Gilmar e Luiz Carlos Fernandes.
Carriero, que desde 2009 teve trabalhos de sua autoria selecionados para a exposição em Piracicaba, diz que é um dever homenagear o Salão, pois o considera uma das maiores referências de humor do mundo. “Em Campinas, acho que o Ziraldo disse isso, temos um pequeno celeiro de craques do humor; então, resolvi fazer uma mostra com mais de 30 caricaturas, charges e mais de 20 com nomes de artistas consagrados que passaram pelo grande Salão”, diz o artista.
A mostra tem o apoio do CEDHU Piracicaba, AQC-ESP (Associação dos Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo), Galeria Sede, Pandora Escola de Arte, Loja Disorder, Riva Rock Discos, DJ Barata, Trashcan Records e Carriero Estúdio.
QUATRO DÉCADAS – Em 2013, ano em que completa 40 anos, o Salão Internacional de Humor de Piracicaba, um dos mais tradicionais do mundo, abre sua mostra oficial no dia 24 de agosto, no Engenho Central, com visitas até 20 de outubro. As inscrições para envio de trabalhos está aberta até 19 de julho, com seleção nos dias 3 e 4 de agosto e anúncio dos premiados para 17 de agosto. O jornalista e publicitário Carlos Colonnese, um dos fundadores do evento, é o presidente desta edição. Além da mostra principal, o CEDHU Piracicaba realiza o Salãozinho de Humor, para revelar talentos entre 7 e 14 anos, com inscrições até 12 de agosto. Há também o 3o Concurso de Microcontos de Humor, cujo resultado será anunciado esta semana. Ao todo são R$ 46 mil em prêmios aos artistas selecionados.
SERVIÇO – Exposição 40 Anos de Humor – Pré Pira: Campinas Abraça o SHP. Abertura às 19h de sexta-feira (5), na Galeria Sede (rua Sampaio Peixoto, 368, Cambuí, Campinas). Visitas de 6 a 31 de julho, das 10h às 16h. Entrada gratuita. Mais informações: (19) 3291-4426.
Assessoria de imprensa do 40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba Press office of the 40th International Humor Exhibition of Piracicaba