30 de nov de 2010

PARTICIPE DO 27º PRÊMIO ANGELO AGOSTINI

PARTICIPE DO 27º PRÊMIO ANGELO AGOSTINI

Em fevereiro de 2011 realizaremos o 27º DIA DO QUADRINHO NACIONAL, com a entrega do Prêmio Ângelo Agostini. Podem participar todo quadrinhista (profissional ou amador), estudioso, colecionador ou aficionado pelo quadrinho nacional, basta preencher a cédula e enviar para a caixa postal da AQC-ESP, para os endereço eletrônico: premioangeloagostini@gmail.com, até 05 de janeiro de 2011 (se não quiser ou não souber, não há a necessidade de votar em todos os itens). Feita a apuração, os vitoriosos serão homenageados, com direito a uma exposição, troféu e muita badalação. O resultado final e o local da festa serão divulgados no final de janeiro em revistas, em jornais de circulação nacional, no blog da AQC-ESP, no sítio do Bigorna e no QI.

OS CRITÉRIOS

Existem seis categorias no prêmio Ângelo Agostini. Na categoria MESTRES DO QUADRINHO NACIONAL devesse votar em CINCO artistas que tenham se dedicado aos quadrinhos, pelo menos nos últimos vinte e cinco anos.
A lista de grandes profissionais que podem ser lembrados e votados para o prêmio de MESTRE DO QUADRINHO NACIONAL é a seguinte:

DÉCADA de 50: Fernando Lisboa.
DÉCADA de 60: José Meneses, Mario Jaci, Luiz Meri, Kazuhiro, Wilson Fernandes, Dag Lemos, Manoel Ferreira, Maria das Graças Maldonado, Marcos Maldonado, Francisco de Assis, Nilzon Azevedo, Lucaz, Edmo Rodrigues, Fernando Almeida, Josmar Fevereiro, Edgard de Sousa, Antonio Martins, Manuel Nunes, Joseval e Clip Pop.
DÉCADA de 70 e 80: Osvaldo Sequetin, Nelson Padrella, Wanderley Felipe, Ailton Elias, Eduardo Vetillo, Bira Câmara, Altair Gelattti, Gustavo Machado, Antonio Cocolete, Itamar Borges, Alain Voss, Julio Emílio Braz, Novaes, Toninho Lima, Elmano, E. C. Nickel, Cesar Lobo, Francisco Vilachã, e Pedro Mauro Moreno.
FANZINES: José Agenor Ferreira, Aimar Aguiar e Gutemberg.
ESTUDIOSOS: Dagomir Marquezi e Sérgio Augusto.
Evidente que podemos não ter lembrado de algum artista, mas que você considerá-lo para a votação incluindo-o na lista.

Nas categorias de MELHOR DESENHISTA, MELHOR ROTEIRISTA e MELHOR CARTUNISTA devesse apontar qualquer profissional ou amador que esteve em atividade durante o ano de 2010. Procure folhear revistas, consultar coleções e se informar. Não esqueça dos profissionais que desenvolvem seu trabalho nos grandes estúdios, como o de Maurício de Sousa, que têm seus nomes poucos divulgados.
No MELHOR FANZINE é considerado o título publicado durante o ano de 2010 (mesmo que exemplar único), que seja caracterizado como fanzine, ou seja, com informações, notícias, resenhas ou notas sobre quadrinhos. Não confundir com revistas em quadrinhos independentes, que podem ser votadas na categoria de Melhor Lançamento.
Já no MELHOR LANÇAMENTO valem todas as publicações com produção de artistas nacionais que tiveram seu número 1, exemplar especial ou número único lançado em 2010, para o mercado brasileiro. Para ajudar a escolha publicamos uma lista de revistas que saíram neste ano. Evidente que podem surgir novos lançamentos e publicações que não estão na lista, nada impede que você vote numa outro exemplar, indicando a editora ou o editor.
Esse ano, introduzimos mais uma categoria MELHOR LANÇAMENTO INDEPENDENTE. Destacando os lançamentos que tiveram o primeiro número, especial ou número único lançado em 2010, para o mercado brasileiro, editado pelo próprio autor ou por pequenas editoras, de baixa tiragem.
Finalmente, o prêmio JAYME CORTEZ vai para quem tenha incentivado nossa arte através da divulgação, edição, promoção ou qualquer ação que tenha aberto espaço para o quadrinho nacional, também durante o ano de 2010.

-

Lista de indicados ao 27º Angelo Agostini

LISTA DE LANÇAMENTOS DE 2010

Nessa lista você encontrará o nome do lançamento e entre parênteses o nome da editora ou do editor independente. A lista está colocada de maneira aleatória, sem preferência ou favorecimento. Caso você conheça algum outro lançamento que não esteja relacionado, vote nele, indicando a editora ou o autor. A lista abaixo vale para as categorias: Melhor Lançamento e Melhor Lançamento Independente.

catálogo Ilustra Brasil! 7 - SIB
Cirilo Rasga Beiço - INDEPENDENTE
Cócegas no Raciocínio - GARIMPO
Codinome V - O herói em V de Vingança - MARCA DE FANTASIA
Conthq - SM
Destemido - UFSJ de Divinópolis
Diário da Julieta - As histórias mais Secretas da Menino Maluquinha - GLOBO
Drácula de Bram Stoker - ESCALA
EntreQuadros - A Walk on the Wild Side - BALÃO Almanaque Papa-Capim & Turma da Mata # 1 - PANINI
Anita Garibaldi INDEPENDENTE
As Desventuras de Davi INDEPENDENTE
Assim Falava Zaratustra - Dos céus aos quadrinhos - DEVIR
Bando de dois - ZARABATANA
Banzo e Benito - ZARABATANA
Ber the bear - MARCA DE FANTASIA
Bidu arrasando! - L&PM
Bienvenido - Um passeio pelos quadrinhos argentinos - ZARABATANA
Cachalote - CIA DAS LETRA
MSP + 50 - Mauricio de Sousa Por Mais 50 Artistas - PANINI
Mundinho Animal - LEYA POP
Na Kombi - LEYA POP
Níquel Náusea - A vaca foi pro brejo atrás do carro na frente dos bois - DEVIR catálogo Craques do Cartum na Copa - CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL
Espetacular Arte de Desenhar Quadrinhos - SENAC
FERCOM! Reprises QUASE inéditas - INDEPENDENTE
Gefangene - Sem Saída - ZARABATANA
Vapt e Vupt – HQM
Tias de Letra, Agora ou Nunca (Virgo)
Vaccarezza - PT
Gibi do Glauco - FOLHA DE S.PAULO
Hector & Afonso - Os Passarinhos - BALÃO
Lina - ESTAÇÃO LIBERDADE
Lorde Kramus # 1 - INDEPENDENTE
Loucas de Amor em Quadrinhos - IDEIAS A GRANEL
Maria Erótica e o Clamor do Sexo - Imprensa, Pornografia, Comunismo e Censura na Ditadura Militar: 1964/1985 - PEIXE GRANDE
Memórias Póstumas de Brás Cubas - DESIDERATA
Menthalos - ANNA BLUME Homem Gravidade Zero - JABOTICABA
Jam # 1 - INDEPENDENTE
Jambocks # 1 - Prelúdio para a guerra - ZARABATANA
Joaquim Nabuco - A Voz da Abolição - MASSANGANA
Joquempô - DEVIR
História do Brasil em Quadrinhos, Lula - Sarandi
Katita - O preconceito é um dragão - MARCA DE FANTASIA
Leão Negro - Histórias de família - HQM
Leão Negro - O Filhote - HQM
Virgens Kamikazes - Tetsuo
Tempos Atuais – Cristiano F. Silva
Pavão Misterioso, Cordel em Quadrinhos - Luzeiro
O Espetacular Homem-Caveira 1 – Zilson Costa
Icfire Action 1 – Chagas Lima
Hector & Afonso – Estêvão Ribeiro
Entendendo a Linguagem das HQs – Edgard Guimarães
Katita: O Preconceito é um Dragão – Marca de Fantasia
Ber the Bear – Marca de Fantasia
Oriok 1 – Chagas Lima
Ação e Reação 1 – Alcivan Gameleira
Almanaque Meteoro 1 – Roberto Guedes
Brigada das Selvas – Editora Júpiter II
Cartilha Cartum Copa do Mundo – Aldo Maes dos Anjos
Space Opera 1 – Editora Júpiter II
Vulto 20 Anos – Editora Júpiter II
Três Centos de Cartuns – Edgard Guimarães
Silas Verdugo – Marca de Fantasia
Dominique 1 – Chagas Lima
O Novelo Mortal – Luís Felipe
Saperlipopete – Roberto Hollanda
Vertigem – Ronaldo Rony
A3 Quadrinhos 1 – Matheus Moura
Caverna dos Gibis 1 – Denilson Rosa dos Reis
Codinome V – Marca de Fantasia
Enquanto Isso... – Will
Revista do Sesquicentenário de Brusque – Aldo Maes dos Anjos
Salomão Ventura – Giorgio Galli
Tela HQ – Denilson Rosa dos Reis
Xaxado e sua Turma 1 – HQM
Meia-Lua – Editora Júpiter II
Chet – Ink Blood Comics
FERCOM! Especial – Fernando dos Santos -INDEPENDENTE
Via Universal – Gazy Andraus
Expressão Zine – Gazy Andraus
Quando Tem que Ser – Marca de Fantasia
Lucas da Vila de Sant’ana da Feira – Marcelo Lima
Kuei – Marcelo Lima
Área 71 – HQ Independente Bahia
Smack! O Beijo nos Quadrinhos - CENTOPEIA
SOQ – Só Quadrinhos - INDEPENDENTE
Space Opera - INDEPENDENTE
Space Opera # 1 - INDEPENDENTE
Super-Heróis nos Desenhos Animados - EUROPA
Tiras de Letra Agora ou Nunca - VIRGO
Tongo Comics - INDEPENDENTE
Tormenta - JUPITER II
O Astronauta - ou Livre Associação de um Homem no Espaço - ZARABATANA
O Mistério da Mula sem Cabeça - VIA LETTERA
O Príncipe do Best Seller - HQM
Os Sousa - Desventuras em família - L&PM
Pindura 2010 - INDEPENDENTE
Post Escriptum - INDEPENDENTE
Promessas de Amor a Desconhecidos Enquanto Espero o Fim do Mundo - Vol. 1: Limbo - INDEPENDENTE
Quadrinhos Sacanas - PEIXE GRANDE
Quadrinize - DIGA COMICS/EDITORA VIRTUAL INFINITUM
Quebra-Queixo Technorama - DEVIR
Quilombo Orum Aiê - RECORD
Relatório Ota do Sexo - LEYA POP
Revista A3 Quadrinhos # 1 - INDEPENDENTE
Ronaldinho Gaúcho Especial # 1 - PANINI
Samurai - Até o fim do mundo - DEVIR
Sarau da Mariazinha - INDEPENDENTE
Silas Verdugo - Origem - MARCA DE FANTASIA
Silas Verdugo, o Homem do Patuá: a origem - MARCA DE FANTASIA
Skrotinhos - L&PM
Histórias Sagradas 1 – Júpiter II
Entes Perpétuos – Kalaco
Luluzinha Teen, Lulu Sother – Pixel
Senninha e sua Turma 01 – HQM
Amostra Grátis # 2 - INDEPENDENTE
SIC) CONRAD
ABC Zine # 1 - INDEPENDENTE
Alameda da Saudade - JUPITER II
Aline e Pastor da Noite - NHQ
Almanaque Meteoro - INDEPENDENTE Triste Fim de Policarpo Quaresma - DESIDERATA
Turma da Mônica - De quem é este coelho? - L&PM
Turma da Mônica - Mônica está de férias - L&PM
Vascão - O gigante da colina em quadrinhos - GLOBO
Verdão - O campeão do século em quadrinhos - GLOBO
Vitral - HQM
Vó - LEYA POP
Xampu - Lovely losers - DEVIR
Xaxado e sua Turma # 1 - HQM
Yeshuah - O Círculo Interno o Círculo Externo - DEVIR
Entidade - ERICK JESUS

-

27 de nov de 2010

Prêmio ANGELO AGOSTINI

O DIA DO QUADRINHO NACIONAL E O TROFÉU ANGELO AGOSTINI


A AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo) foi criada em 1984, para reunir os profissionais da categoria, procurando defender seus interesses e abrir perspectivas para semi-profissionais e incentivar os amadores a abraçar esta arte. Com poucos recursos e muito boa vontade de alguns, a associação tem procurado cumprir esta orientação. Mas existe um outro aspecto muito importante que tem ocupado um espaço de destaque entre as atividades da AQC-ESP: o resgate e a referência aos grandes artistas do quadrinho nacional, que são homenageados anualmente através do troféu ÂNGELO AGOSTINI.




ÂNGELO AGOSTINI


Ângelo Agostini foi quem realizou a primeira história em quadrinhos, em seqüência e com um personagem fixo, no Brasil, que começou a ser publicada em 30 de janeiro de 1869. O nome dessa HQ era "As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte", que duraria nove capítulos pelo traço de Agostini. Em 1984, através do cartunista e historiador Álvarus e do quadrinhista Ofeliano de Almeida, levantou-se a data em que a primeira HQ nacional foi publicada e a AQC-ESP resolveu instituir um prêmio e um dia especial do ano, para marcar o trabalho de dezenas de artistas, que desenharam nossa história em quadrinhos. Assim surgiu O DIA DO QUADRINHO NACIONAL. Existem interpretações e registros anteriores ao 30 de janeiro de 1869 (até HQ's do próprio Agostini, veiculadas no pasquim "Diabo Coxo", em 1865), mas o personagem Nhô Quim é muito significativo para a arte desenhada no Brasil, assim como Ângelo Agostini. Além de seu papel destacado como republicano, anti-clerical e abolicionista, Agostini delimitou fronteiras, criou estilo, influenciou e tornou a caricatura, a sátira política e os quadrinhos parte de nossa nascente imprensa. Agostini, foi, inclusive, um dos fundadores da mais importante revista infantil brasileira: a popular "O Tico Tico".




O DIA DO QUADRINHO NACIONAL




O espírito do Dia do Quadrinho Nacional foi, inicialmente, o de consagrar como Mestres, os profissionais que dedicaram, pelo menos, vinte e cinco anos de seu trabalho aos quadrinhos nacionais. Depois, o sentido da homenagem foi ampliado para os melhores trabalhos do ano anterior e atualmente existe uma referência à produção alternativa, feita através dos fanzines. Mas a proposta inicial foi mantida, ou seja, a categoria; profissionais, amadores, estudiosos e aficionados do assunto escolhem, através de votação, quem receberá o troféu Ângelo Agostini. Por volta do mês de novembro de cada ano, são distribuídas as cédulas de votação. Feita a apuração, os vitoriosos são homenageados, com direito a uma exposição, troféu e muita badalação. Um momento emocionante para a maioria - constatação de que sua arte é apreciada por outros, além de ser uma festa para todos os quadrinhistas.


TODOS OS PREMIADOS


1984: Eugênio Colonnese, Jayme Cortez, Messias de Melo e Rodolfo Zalla (mestres). O editor Itagyba de Oliveira da revista Inter Quadrinhos.
1985: Gedeone Malagola, Julio Shimamoto e Nico Rosso (mestres), Watson Portela (desenhista), Julio Emilio Braz (roteirista), Chiclete com Banana / Circo e Medo / Press (lançamentos).
1986: Flavio Colin, Sergio Lima e Henfil (mestres), Mozart Couto (desenhista), Gilberto Camargo (roteirista), Bundha / Press (lançamento), Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (especial) e, pelos 50 anos dedicados aos quadrinhos, um troféu especial para Jayme Cortez.
1987: Cláudio Seto, João Batista Queiroz e Luiz Sá (mestres), Spacca (desenhista), Fernando Gonsales (roteirista), Radar / Press (lançamento). Neste ano, foi intituído o troféu Jayme Cortez para os incentivadores da HQ nacional, entregue ao Marcatti.
1988: Rubens Francisco Lucchetti, Jaguar e Álvaro de Moya (mestres) ,Laerte Coutinho (desenhista), Luiz Aguiar (roteirista), Seleções do Quadrix, Garra Cinzenta / Waz (lançamento), Jal e Gualberto (Jayme Cortez).
1989: Miguel Penteado, Walmir Amaral e Ziraldo (mestres), Gustavo Machado (desenhista), Novaes (roteirista), Menino Maluquinho / Abril (lançamento), Franco de Rosa (Jayme Cortez).
1990: Aylton Thomas, Reinaldo de Oliveira e Primaggio (mestres), Hector Gomez (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Piratas do Tietê / Circo (lançamento), Franco de Rosa (Jayme Cortez).
1991: Izomar Camargo, Ismael dos Santos e André Le Blanc (mestres), Gustavo Machado e Lourenço Mutarelli (desenhistas), Laerte Coutinho (roteirista), Graphic Trapa / Abril (lançamento) e Worney A. Souza (Jayme Cortez),
1992: Maurício de Sousa, Waldir Igayara e Carlos Zéfiro (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Pau-Brasil / Vidente (lançamento), Panacéa (fanzine) e Gibiteca Henfil (Jayme Cortez).,
1993: Ely Barbosa, Lyrio Aragão e Getúlio Delphin (mestres), Marcelo Campos (desenhista e roteirista), SemiDeuses / Saga (lançamento), Panacéa (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
1994: Ivan Saindenberg, Paulo Fukue e Roberto Fukue (mestres), Fernando Gonsales (desenhista), Arthur Garcia (roteirista), Mulher Diaba no Rastro de Lampião / Nova Sampa (lançamento), Marvel News (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
1995: Helena Fonseca, Paulo Hamasaki e Antonio Duarte (mestres), Arthur Garcia (desenhista), Lúcia Nóbrega (roteirista), Coleção Assombração / Ediouro (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
1996: Fernando Ikoma, Maria Aparecida Godoy e Oscar Kern (mestres), Sebastião Seabra (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Gibizão da Turma da Mônica / Editora Globo (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgard Guimarães (Jayme Cortez).
1997: Carlos Thiré, Manoel Victor Filho e Zezo (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Metal Pesado / Metal Pesado Editora (lançamento), "Informativo de Quadrinhos Independentes" (fanzine) e Metal Pesado Editora (Jayme Cortez).
1998: Deodato Borges, Luiz Antonio Sampaio e Péricles (mestres), Laerte Coutinho (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Cybercomix / Editora Bookmakers (lançamento), Mocinhos e Bandidos (fanzine) e Editora Bookmakers (Jayme Cortez).
1999: Adolfo Aizen, Moacy Cirne e Renato Silva (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Gian Danton (roteirista), Dobro de Cinco / Devir Editora (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
2000: Edson Rontani, Ivan Watsh Rodrigues e Renato Canini (mestres), Flávio Colin (desenhista), André Diniz (roteirista), Fawcett/Editora Nonarte (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
2001: Antonio Cedraz, Claudio de Sousa, Edmundo Rodrigues, Ignácio Justo, Ionaldo Cavalcanti, José Delbó, Luis Sátiro, Luiz Saindenberg, Luscar, Nani, Osvaldo Talo, Rubens Cordeiro e Zaé Júnior (mestres), Flávio Colin (desenhista), Wellington Srbek (roteirista), Fábrica dos Quadrinhos/Devir (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Editora Opera Graphica (Jayme Cortez).
2002: Otacilio D’Assunção, Laerte Coutinho, Moacir Rodrigues, Antônio Eusébio e Tony Fernandes (mestres), julio Shimamoto (desenhista), Wellington Srbek (roteirista), Madame Satã/Opera Graphica (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine), Editora Opera Graphica (Jayme Cortez), Cláudio, Spacca, Márcio Baraldi, Lupin e Bira (cartunista), Alexandre Silva, Lilian Mitsunaga, André Vazzios, André Hernandez, Alexandre Jubran (arte-técnica), Franco de Rosa, Carlos Mann, Roberto Guedes, André Diniz e Edgar Guimarães (editores), Erica Awano, Emir Ribeiro, Marcelo Borba, Sílvio Spotti e Omar Viñole (arte-final), Impacto, Quanta, Esa, Graphis e Abra (escolas), D-Arte, Ebal, Vecchi, Grafipar e GEP (editoras clássicas), Escala, Via Lettera, Devir, O Pasquim e Virgo (editoras atuais), Comix Boop Shop, Revistas & Cia, Point HQ, Banca Flávio e Itiban (lojas), Cida Cândido, Gonçalo Jr., Gualberto Costa, Sidney Gusmann e Giovanni Voltolini (amigos da HQ nacional) e Gibiteca de Curitiba, Gibiteca Henfil, Salão de Humor de Piracicaba e Núcleo de HQ da Fau-usp (entidade).
2003: Angeli, Angelo Agostini, Carlos Estevão, Chico Caruso e Rivaldo (mestres), Mozart Couto (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Roko-Loko (Opera Graphica Editora) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Franco de Rosa e Roberto Guedes (editores), Alexandre Jubran e André Vazzios (artistas de arte-técnica), Mozart Couto e Renato Guedes (arte-finalistas), Bira e Márcio Baraldi (cartunistas), André Diniz, Sidney Gusman e Opera Graphica Editora (troféu Jayme Cortez).
2004: Luiz Gê, Minami Keizi e Paulo Caruso (mestres), Wanderley Felipe (desenhista), Fábio Moon e Gabriel Bá (roteirista), Roko-Loko e Adrina-Lina Atacam Novamente (Opera Graphica Editora) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Márcio Baraldi (cartunista), Roberto Guedes (troféu Jayme Cortez) e Diogo Saito (prêmio especial Hermes Tadeu-colorista).
2005: Jorge Barkinwel, Lor e Sônia Luyten (mestres), Fábio Moon e Gabriel Bá (desenhistas), Marcatti (roteirista), Tatoozinho (Opera Graphica) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Ubiratã Dantas (cartunista) e Site Bigorna (troféu Jayme Cortez).
2006: Henrique Fleiuss, Cândido de Farias, Renato de Castro, J. Carlos, Max Yantok, Augusto Rocha, Alfredo Storni, Oswaldo Storni, Vasco Lima, Léo, Theo, Paulo Afonso, Gil Vaz, Loureiro, Herman Lima, Fortuna, Belmonte, Nino Borges, Francisco Armond, Jerônimo Monteiro, Judas Isgorogotas, Sammarco, Gil Brandão, Monteiro Filho, Joselito, Francisco Iwerten, Helio Porto, José Geraldo, Juarez Odilon, Orlando Pizzi, Milton Júlio, Scudellari, Pedro Segui, Luiz Carlos Salgueiro, Otávio Novaes, Manoel Ferreira, Bortolassi, José Sidekerkis, Salvador Bentivegna, João Montini, Nelson Cunha, Carlos Magno, Luiz Rosso, Militello, Fabiano e Giorgio Capelli (mestres in memorian), Gutemberg Monteiro, Luiz Teixeira da Silva (Tule) (mestres), Fábio Moon e Gabriel Ba (desenhistas), Anita Costa Prado (roteirista), Márcio Baraldi (cartunista), Katita, Tiras Sem Preconceito (Editora Marca de Fantasia) (lançamento), Justiça Eterna (Sérgio Chaves) (fanzine) e Edgard Guimarães (troféu Jayme Cortez).
2007: José Evaldo de Oliveira e Fernando Bonini (mestres in memorian), Aníbal Barros Cassal, Antônio Luiz Cagnin, Diamantino da Silva, Fernando Dias da Silva, Ofeliano de Almeida e Salatiel de Holanda (mestres), Laudo Ferreira Júnior (desenhista), Anita Costa Prado (roteirista), Márcio Baraldi (cartunista), Menino Caranguejo (Splinter Comics) (lançamento), Justiça Eterna (Sergio Chaves) (fanzine) e Eloyr Pacheco (troféu Jayme Cortez).
2008: Emir Ribeiro, Deodato Filho, Mozart Couto, Sebastião Seabra, Sergio Morettini e Watson Portela (mestres), Laudo Ferreira Júnior (desenhista), Daniel Esteves (roteirista), Márcio Baraldi (cartunista), Menina Infinito (Editora Desiderata) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine) e Coletivo Quarto Mundo (troféu Jayme Cortez).
2009: Franco de Rosa, Henrique Magalhães e Rodval Mathias (mestres), Adauto Silva (desenhista), Laudo Ferreira Júnior (roteirista), Sivanildo Sill (cartunista), Roko-Loko - Hey Ho, Let´s Go! (Editora Rock Brigade) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgard Guimarães) (fanzine) e José Salles (Editora Júpiter II) (troféu Jayme Cortez).

25 de nov de 2010

Reunião da AQC dia 27/11

Reunião da AQC-ESP para o dia 27 de Novembro, a partir da 14h na Biblioteca Monteiro Lobato, na Rua General Jardim, 580, próximo ao metrô República. a pauta será a organização do 27º Angelo Agostini e a revista "Picles" #01.

A participação é franqueada a todos os interessados.

Por favor colegas divulgar reunião em seus blogs, sites, twitter, etc se possível.

Um abraço,


Worney Almeida de Souza
produtoraculturalwaz@yahoo.com.br

16 de nov de 2010

Malditos Cartunistas

Reprodução do cartaz do filme de Daniel Garcia e Daniel Paiva


'Malditos cartunistas' teve primeira exibição pública nesta quarta, no Rio.
Filme traz macetes dos criadores de tiras e registro histórico de Glauco


Qual a diferença entre um cartunista, um chargista e um quadrinista? Quais são os segredos e os macetes para produzir uma tira de jornal todo santo dia? Humor é inspiração ou transpiração? Saber desenhar é um dom?
Essas e outras muitas perguntas sobre o trabalho dos humoristas do traço são respondidas por 25 representantes de diversas gerações em "Malditos cartunistas", documentário de cerca de 90 minutos apresentado em primeira mão nesta quarta-feira (10) durante a Rio Comicon, convenção de quadrinhos realizada na Estação Leopoldina até domingo.
Dirigido por Daniel Garcia, 31, e Daniel Paiva, 29, ambos artistas independentes que publicam seus trabalhos na revista "Tarja preta", o filme cobre desde a velha guarda do cartum, formada por nomes como Ziraldo, Jaguar, Reinaldo e Nani, passando pelos também veteranos Angeli, Ota, Adão e Caco Galhardo, até as safras mais recentes, com gente como Allan Sieber, Arnaldo Branco, André Dahmer e Chiquinha"No geral, os cartunistas são muito diferentes entre si, mas também são muito parecidos porque todos têm sempre alguma maluquice", revelou Daniel Paiva ao G1, em entrevista que você pode ver no vídeo acima.
E são justamente essas pequenas "maluquices" que levaram às gargalhadas o público que lotou a sessão na noite de quarta para ver o documentário.
Em um dos pontos altos, o cartunista e ex-editor da revista "Mad" no Brasil, Otacílio D'Assunção, o Ota, revela a sua rotina de trabalho. São 11h48, e Ota tem a tela do computador aberta em uma tira sua já publicada no dia anterior pelo "Jornal do Brasil". Faltam 12 minutos para o fechamento da seção de tiras do dia seguinte do jornal e ele ainda nem começou a pensar na piada. Enquanto conversa com os documentaristas, sem o menor sinal de constrangimento, vai escrevendo por cima dos balões da tira anterior, corrige o posicionamento de um desenho aqui e outro ali e... voilá, está pronta mais uma tirinha.
Enquanto isso, em um estúdio à meia-luz muito longe dali, o perfeccionista Angeli fala sobre como prepara uma charge para a página 2 da "Folha de S. Paulo". "Começo às 13h, mas mesmo se a ideia já estiver formada, não considero a charge terminada até as 20h", diz, referindo-se ao horário de fechamento da edição nacional do jornal.
Fazendo coro com Ota, o carioca André Dahmer, da geração de quadrinistas revelada pela internet com trabalhos como a série "Os malvados" e "Rei Emir", publicada às sextas no G1, desmistifca a reciclagem de desenhos: "Quem foi que nunca reaproveitou uma tira?", sugere, sem falso moralismo.


Diego Assis - Do G1 (Pop e Arte), no Rio de Janeiro

9 de nov de 2010

WORNEY ALMEIDA DE SOUZA POR BIRA DANTAS

Conhecido como “WAZ”, criador e editor do Fanzine Quadrix (um dos mais importantes veículos de comunicação entre desenhistas e seus fãs), Worney fez história no Mundo dos Quadrinhos, mantendo uma importante lista de contatos de fãs de Quadrinhos no Brasil inteiro. Funcionário da Prefeitura de São Paulo,é um jornalista formado no dia-a-dia das editoras, amigo de centenas de profissionais da área (como Primaggio Mantovi, Rodval Matias, Paulo e Chico Caruso, Jayme Cortez, Diamantino da Silva, Rodolfo Zalla, Eugenio Colonnese, Mauricio de Souza, Eduardo Vetillo, Ziraldo, Watson Portela, Franco de Rosa, Mozart Couto, Marcio Baraldi, entre muitos outros) e respeitado por seu conhecimento (muitas vezes “in loco”) de quadrinhistas já esquecidos ou até falecidos (como Bonini, Sérgio Lima, João Baptista Queiroz...).
Colaborou em várias editoras como Opera Graphica e Escala Educacional, por ser um pesquisador dedicado, cuja coleção impecável de revistas faria inveja a qualquer um.
Worney, Franco de Rosa, Ofeliano entre outros, batalharam para que o Dia do Quadrinho Brasileiro fosse o dia em que Angelo Agostini publicou a primeira página de “As Aventuras de Nhô Quim” (30 de Janeiro de 1869).
A AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo) foi criada em 1984, para reunir os profissionais da categoria, procurando defender seus interesses e abrir perspectivas para semi profissionais e incentivar os amadores a abraçar esta arte. Com poucos recursos e muito boa vontade de alguns, a associação tem procurado cumprir esta orientação. Mas existe um outro aspecto muito importante que tem ocupado um espaço de destaque entre as atividades da AQC-ESP: o resgate e a referência aos grandes artistas do quadrinho nacional, que são homenageados anualmente através do Troféu Angelo Agostini.
Lei a história toda aqui:
http://www.bigorna.net/index.php?secao=artigos&id=1134708984
Fomos companheiros de chapa e diretoria da AQC no começo dos anos 80. Faziam parte também: Gualberto, Spacca, Marcatti, Floreal, Guida, Calazans, Mikio, Guida, entre muitos outros.
Um de seus méritos foi o de fazer com que a AQC se tornasse uma associação mais representativa e democrática.
Mesmo quando a AQC se esvaziou, nos anos 90, Worney manteve a entrega do Troféu Angelo Agostini, tornando-se seu principal organizador e divulgador. A entrega do Troféu terá sua 27a. Edição em 2011 e nunca falhou.
Depois de uma votação nas Livrarias especializadas em Quadrinhos e pela internet, os eleitores escolhem os melhores quadrinhistas brasileiros da atualidade e do passado.
O site Bigorna disponibiliza textos de Worney aqui:
http://www.bigorna.net/index.php?secao=biografias&id=1120185065
Sua última novidade é o Blog da AQC:
http://aqcsp.blogspot.com
Worney além de um grande amigo é um desses idealistas que segue e persegue seu ideal sempre.
Bravo, Worney. Bravíssimo!